PCP diz que falta equipamento no hospital de Santo Tirso apesar do investimento feito

O PCP denuncia que que existe "carência" de equipamentos no hospital de Santo Tirso apesar da "já efetuada aquisição de alguns e reparação de outros" e criticou os "sucessivos Governos" pelo desinvestimento naquela unidade

O hospital de Santo Tirso, distrito do Porto, integra o Centro Hospitalar do Médio Ave (CHMA), a par de uma outra unidade de Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga.

Ontem, o PCP realizou uma visita ao hospital tirsense, onde também são atendidos utentes do concelho da Trofa, e em declarações à agência Lusa a deputada Ana Virgínia Pereira mostrou-se “satisfeita” após a conversa com responsáveis pelo novo Conselho de Administração, mas não frisou que esta unidade hospitalar foi “alvo de um desinvestimento” salientando o período de governação do PSD/CDS-PP.

Já em nota remetida à Lusa, fazendo a síntese da visita, o PCP afirma que “no que se refere aos equipamentos, apesar da já efetuada aquisição de alguns e reparação de outros, existe, ainda, uma reconhecida carência”.

No documento os comunistas falam em “depauperamento de recursos humanos e materiais a que não pode ser alheio o subfinanciamento do Serviço Nacional de Saúde levado a cabo por diferentes Governos, com gravidade excecional por parte do anterior governo PSD/CDS-PP”.

“Salienta-se, ainda, ter sido a Unidade Hospitalar de Santo Tirso, alvo de uma tentativa de entrega à Misericórdia, situação geradora de instabilidade e até abandono das exigidas requalificação de infraestruturas e adequação dos recursos humanos”, lê-se na nota.

Em causa está o facto de este ter sido um dos hospitais públicos que a tutela, quando era primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, esteve para entregar às Santas Casas de Misericórdia locais, um processo interrompido em Santo Tirso quando o PS de António Costa entrou em funções.

“O Conselho de Administração transmitiu o seu empenho no sentido de melhorar as condições de saúde oferecidas por esta Unidade Hospitalar. Com efeito, a área de recursos humanos foi reforçada, abrangendo todos os grupos profissionais, ainda que seja necessário completar o quadro, para o que estão a decorrer concursos”, descrevem os comunistas.

Quanto a obras “mais urgentes de reabilitação física do bloco de cirurgia de ambulatório”, o PCP confirmou que, conforme refere a nota sobre a visita, foram “realizadas”.

“A perspetiva de investimentos mais profundos, envolvendo novos projetos, foi também abordada pelo Conselho de Administração, no sentido de dotar de mais e melhores condições de saúde e de bem-estar para a população utente da Unidade Hospitalar de Santo Tirso”, termina a síntese.

LUSA/SO

 

 

ler mais

RECENTES

ler mais