28 Mar, 2017

Novo teste sanguíneo mais rápido e eficaz na deteção da tuberculose

O diagnóstico pode ser mais rápido e fiável com um novo teste sanguíneo, desenvolvido por um grupo de investigadores do Arizona, Texas e Washington, para detetar a doença que só nos últimos 200 anos matou mil milhões de pessoas

Um grupo de investigadores do Arizona, Texas e Washington usa a nanomedicina, com a qual pretende evitar diagnósticos errados baseados nos métodos atuais, assentes na análise da expetoração, culturas sanguíneas e biópsias invasivas aos pulmões e aos sistema linfático.

“Estes resultados podem ser falsos negativos e, além disso, podem demorar dias até haver confirmação” da doença, cujo tratamento deve começar o mais depressa possível”, afirmou Tony Hu, da universidade do Arizona.

Este novo método consegue detetar a presença de quantidades ínfimas de duas proteínas que as bactérias da tuberculose produzem durante infeções ativas, conseguindo medir a gravidade da infeção.

Apesar de todos os anos serem gastos milhares de milhões de euros para cuidar dos doentes e evitar infeções, a turberculose continua a ser um dos maiores riscos de saúde mundiais, estimando-se que possa afetar um terço da população do mundo.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), todos os anos 10 milhões de pessoas contraem a doença e quase dois milhões morrem.

Os responsáveis pela investigação querem agora testar se o seu método se adapta a outras doenças e candidatar-se a testes clínicos na luta contra a tuberculose.

LUSA/SO

 

Msd - banner_final

ler mais

RECENTES

ler mais