Duarte Vilar >> Meio século a promover a saúde e dos direitos sexuais e reprodutivos

Em entrevista ao SaúdeOnline, Duarte Vilar, Diretor Executivo da Associação para o Planeamento Familiar (APF) guia-nos numa viagem pela história da APF e aponta os novos desafios em que a Associação está empenhada. Uma intervenção focada na promoção da saúde e dos direitos sexuais e reprodutivos, que se concretiza através da educação para a saúde, apoiando os destinatários das suas ações a fazerem escolhas informadas.

Fundada em 1967, a Associação para o Planeamento da Família (APF), organização não governamental pioneira em Portugal no planeamento familiar, nos anos 60 e 70, e da educação sexual nas escolas, nas décadas de 80 e 90, mantém ainda hoje intensa atividade nestas áreas e em muitas outras, como a do combate à infeção pelo VIH/SIDA, a erradicação da mutilação genital feminina ou o apoio às vítimas de tráfico de seres humanos. Em entrevista ao SaúdeOnline, Duarte Vilar, Diretor Executivo da Associação guia-nos numa viagem pela história da APF e aponta os novos desafios em que a Associação está empenhada.

Uma intervenção focada na promoção da saúde e dos direitos sexuais e reprodutivos, que se concretiza através da educação para a saúde, apoiando os destinatários das suas ações a fazerem escolhas informadas.
Em março último, foi apresentada mais uma iniciativa, em que a APF surge como parceira de um vasto conjunto de instituições: a Plataforma Europeia de Conhecimento – Unidos para Acabar com a Mutilação Genital Feminina (MGF), numa cerimónia presidida pela Secretária de Estado da Igualdade Catarina Marcelino.

Refira-se que também na MGF, a APF foi pioneira em Portugal na abordagem do problema, promovendo o conhecimento sobre o tema desde o final dos anos 90, fomentando advocacy com parlamentares e decisores políticos, produzindo materiais educativos e de formação sobre este problema, até então quase desc