5 Abr, 2017

Medidas contra surto de hepatite A vão ser explicadas na AR

Na sequência de um requerimento hoje aprovado por unanimidade na Comissão Parlamentar de Saúde, diretora do Programa Nacional para as Hepatites Virais vai explicar ao parlamento as medidas tomada pelas autoridades nacionais face ao surto de hepatite A

A audição de Isabel Aldir foi pedida com urgência pelo Bloco de Esquerda e deverá acontecer na próxima semana, de acordo com o partido.

Segundo o Bloco de Esquerda (BE), o pedido de audição tem como objetivo esclarecer “o comportamento e a atuação das autoridades de saúde perante este caso e de que forma está a ser preparado o país para enfrentar o surto epidémico que já era visível em outros países europeus”.

Uma medida que poderá assim esclarecer as entidades interessadas e a comunidade.

Atualmente, segundo o diretor-geral da Saúde, já existem 138 casos de hepatite A diagnosticados, de um surto que está ainda longe de se considerar controlado, com uma grande concentração no final de março. A esmagadora maioria dos casos deste surto é de homens que tiveram sexo anal ou oro-anal desprotegido com outros homens.

Francisco George  lembrou ainda que há uma falta de produção global da vacina para a hepatite A, pelo que há que ser criterioso na administração das vacinas.

Alerta às autoridades

No requerimento apresentado pelo BE refere-se que o Centro Europeu de Vigilância Epidemiológica alertou as autoridades europeias para o surto em agosto de 2016, sendo que já nessa altura existia, em Portugal, “um número anormalmente alto de diagnóstico” de hepatite A.

“É, por isso, muito pouco compreensível que só no final de março se tenha emitido uma norma de orientação clínica, que não tenha sido acautelado o stock de vacinas e que não se tenha promovido uma campanha de vacinação junto das populações de maior risco”, concluiu.

LUSA/SO/CS

ler mais

RECENTES

ler mais