13 Mar, 2017

Médicos ameaçam greve caso negociações não sejam bem sucedidas

As organizações sindicais médicas ameaçam avançar com uma grave nacional dos médicos se as negociações apresentadas à tutela num programa com vista à resolução dos problemas do setor não cheguem a bom porto

No final da reunião entre as organizações médicas, reunidas sexta-feira no Fórum Médico, estas consideraram que “a pressão excessiva e a interferência, por parte da tutela, nas boas práticas médicas e, consequentemente, na qualidade da medicina, ultrapassou o limite do aceitável”.

Os participantes do encontro consideram que o acesso aos cuidados de saúde estão a agravar-se, sublinhando a existência de “uma gritante injustiça e desigualdade entre os grandes centros urbanos e as regiões mais periféricas, mais carenciadas e mais desfavorecidas”.

Por seu lado, “as condições de trabalho continuam a agravar-se. O contexto laboral e salarial mantém-se em níveis de deterioração elevados. A capacidade formativa está amputada devido à escassez de capital humano e requisitos no Serviço Nacional da Saúde (SNS)”.

As organizações médicas congratulam-se com “a união e convergência de todas as organizações médicas e de todos os médicos na defesa dos doentes e da qualidade da medicina”.

“Estimular as organizações médicas para que, no âmbito das suas competências legais, apresentem um programa de negociações, dotado de um curto calendário negocial e onde todos os problemas que afetam a medicina e os médicos sejam objeto de análise e resolução” foi uma das decisões saídas do encontro.

Os subscritores defendem que este “programa global de negociações deve contemplar aspetos fundamentais vertidos nos cadernos negociais dos sindicatos médicos já reiteradamente entregues ao Ministério”.

“A questão da reposição do valor remuneratório do trabalho suplementar a que os médicos são obrigados, não sendo matéria isolada é de imperiosa resolução a muito curto prazo”, prosseguem.

As organizações sindicais médicas avisam que, “caso as negociações não se traduzam a curto prazo em resultados”, estão preparadas para desencadearem os mecanismos legais de convocação de uma greve nacional dos médicos.

LUSA/SO

 

Gedeon Richter

 

ler mais

RECENTES

ler mais