28 Nov, 2016

Matosinhos “candidata” a Cidade Amiga das Pessoas Idosas

A ULS de Matosinhos celebra hoje com a Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico do Porto e com a Câmara Municipal de Matosinhos, um protocolo com vista à formalização da candidatura de Matosinhos a Cidade Amigas das Pessoas Idosas

A Unidade Local de Saúde de Matosinhos vai celebrar esta segunda-feria com a Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico do Porto e com a Câmara Municipal de Matosinhos um protocolo de colaboração com o objectivo de formalizar a candidatura de Matosinhos a Cidade Amigas das Pessoas Idosas, na perspectiva da adesão à rede mundial criada pela OMS, informou a instituição em comunicado.

O protocolo será assinado no âmbito do I Encontro sobre Envelhecimento Ativo – desafios na Saúde e na Comunidade, que se realiza hoje, a partir das 9h00 no Salão Nobre da Câmara Municipal de Matosinhos.

Trata-se de um encontro científico de âmbito multidisciplinar, organizado pela ULSM em parceria com a Escola Superior da Saúde (do IPP) e com a Câmara Municipal de Matosinhos, no qual irão participar especialistas, profissionais de saúde e investigadores de diferentes áreas, estando também aberto à comunidade em geral.

O programa vai abarcar quatro grandes temas – Literacia em Saúde, Ambiente Amigo das Pessoas Idosas, Tecnologias de Informação e Comunicação nos Cuidados de Proximidade e Matosinhos: Cidade Amiga das Pessoas Idosas.

Matosinhos na Rede Mundial da OMS

Uma cidade amiga das pessoas idosas estimula o envelhecimento ativo através da criação de condições de saúde, participação e segurança, de modo a reforçar a qualidade de vida à medida que as pessoas envelhecem. Em termos práticos, uma cidade amiga das pessoas idosas adapta as suas estruturas e serviços de modo a que estes incluam e sejam acessíveis a pessoas mais velhas, com diferentes necessidades e capacidades. É a partir destes princípios orientadores que a OMS criou um guia, identificando características do ambiente urbano propícias a um envelhecimento ativo e com saúde.

Este conceito de cidade amiga das pessoas idosas, depois interligada em rede mundial, vem perspectivar a problemática do envelhecimento de uma forma inovadora, invertendo o modo como os idosos são visto pela sociedade e pelos respectivos governos. Em vez de sinónimo de despesas com pensões e reformas e custos em cuidados médicos, a OMS vem dizer que os idosos são um recurso vital, mas que esse contributo só será possível se as pessoas idosas se mantiverem saudáveis e se os obstáculos que as impedem de participar na vida em sociedade, em comunidade, forem superados.

Este foi o ponto de partido da OMS quando em 2006 lançou um trabalho de investigação em 33 cidades do mundo, na tentativa de identificar as características de um ambiente urbano facilitador de um envelhecimento ativo e com saúde: acesso aos transportes públicos, aos espaços ao ar livre e edifícios, bem como a habitação adaptada, integrada numa comunidade, e de serviços sociais, especialmente médicos.

Assim, a Rede Mundial de Cidades Amigas das Pessoas Idosas, à qual Matosinhos agora se candidata, visa responder ao rápido envelhecimento das populações e criar ambientes urbanos que permitam uma maior participação cívica na sociedade, consciente da importância da população sénior para o desenvolvimento humano sustentável.

Fonte: comunicado de imprensa

 

ler mais

RECENTES

ler mais