1 Ago, 2017

mais de 800 milhões de fraude investigados na saúde

Em causa estão, aponta o CM, principalmente, casos de receitas falsas que já deram origem a dezenas de processos na Justiça, após a investigação do Ministério Público. Os arguidos, por norma, são médicos e farmacêuticos

De janeiro a junho deste ano o Centro de Conferência de Faturas (CCF) do Serviço Nacional de Saúde investigou 356,2 milhões de euros suspeitos de fraude. Mais de metade dos mais de 492 milhões investigados ao longo de todo o ano passado pelo Grupo de Prevençãoe Combate à Fraude, noticia hoje o Correio da manhã. Ainda segundo o jornal, que teve acesso a dados  da Administração Central dos Sistemas de Saúde, no espaço de ano e meio foram analisados mais de 848 milhões de euros.
De acordo com a mesma fonte, só no primeiro semestre do ano foram enviados para as entidades judiciais relatórios no valor de 21 milhões de euros.

Em causa estão, aponta o CM, principalmente, casos de receitas falsas que já deram origem a dezenas de processos na Justiça, após a investigação do Ministério Público. Os arguidos, por norma, são médicos e farmacêuticos. O Centro de Conferência de Faturas cruza os dados rececionados a partir das faturas emitidas pelas farmácias com as várias bases de dados do Ministério, verificando a situação do doente e do médico que prescreve os medicamentos. Além das receitas, o CCF também verifica os meios complementares de diagnóstico e tratamento, cuidados continuados integrados, diálise e cuidados respiratórios domiciliários. Em breve serão alargadas as competências a outras áreas de atividades do SNS.

CM/SO/MM

ler mais

RECENTES

ler mais