Instituto Biomédicas do Porto aposta na formação em cuidados paliativos

O Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), da Universidade do Porto, vai reforçar a investigação e a formação em cuidados paliativos, no âmbito de um acordo que assina amanhã com o Ministério da Saúde

Em comunicado, a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) esclarece que o protocolo tem em vista incluir a área dos Cuidados Paliativos na “formação no ensino pré-graduado, nomeadamente no Mestrado Integrado de Medicina” do ICBAS, “dando continuidade ao Plano Estratégico definido para o biénio 2017-2018”.

“O investimento em formação específica e na dinamização do ensino na área dos Cuidados Paliativos é fulcral para a prestação de um serviço qualidade, pelo que este protocolo com o ICBAS reforça a componente formativa e de investigação”, observa numa nota de imprensa aquele instituto, também ligado ao Centro Hospitalar do Porto (CHP).

As áreas de colaboração neste domínio “vão contemplar a formação pré-graduada, no sentido de serem incluídos no Mestrado Integrado em Medicina novos conteúdos de medicina paliativa”, descreve o ICBAS.

A par disso, pretende-se a “promoção de formação ao nível das pós-graduações, mestrados ou programas doutorais em medicina paliativa e a investigação em Cuidados Paliativos”.

“Este protocolo insere-se no cumprimento do programa do Governo para a saúde, que estabelece como prioridade aperfeiçoar a gestão dos recursos humanos, promovendo uma melhoria da articulação entre as funções assistenciais, de ensino, de formação pré e pós-graduada e de investigação em universidades e a adequação da oferta educativa ao nível do ensino superior às necessidades de profissionais de saúde do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, descreve o ICBAS.

Já a ARS–N destaca que, “segundo a estimativa da Organização Mundial de Saúde, anualmente mais de 40 milhões de pessoas necessitam de Cuidados Paliativos em todo o mundo”.

A mesma organização “reconhece a eficiência e custo-efetividade de diversos modelos de organização de Cuidados Paliativos no alívio do sofrimento”, refere a ARS–N, acrescentando que, “na posse desta informação, o atual Governo consignou esta área no seu programa, estabelecendo como uma das prioridades melhorar a qualidade dos cuidados de saúde e reforçar o poder do cidadão no SNS”.

A assinatura do protocolo entre o ICBAS e o Ministério da Saúde está marcado para quarta-feira, às 09:30, no Salão Nobre do Hospital de Santo António.

Durante a cerimónia, será assinalado o 6.º aniversário da Equipa Inter-Hospitalar de Suporte de Cuidados Paliativos do CHP.

“Esta equipa desempenha uma função muito relevante na formação em Cuidados Paliativos dos profissionais do centro hospitalar e dos centros de saúde e no apoio a doentes adultos vulneráveis, com situação clínica complexa e com sofrimento, nomeadamente no caso de doenças crónicas avançadas oncológicas e não oncológicas, internados no Centro Hospitalar do Porto”, descreve a instituição.

LUSA/SO/SF

 

ler mais

RECENTES

ler mais