26 Jan, 2018

Infarmed alerta para venda ilegal de medicamentos para emagrecer nas redes sociais

Entre os medicamentos à venda estão o Reductil, que contém sibutramina, substância que foi suspensa em toda a União Europeia em 2010 por se verificar que os riscos da sua utilização eram muito superiores aos seus benefícios, no âmbito de um programa de perda de peso

O Infarmed detetou a promoção da venda ilegal de medicamentos destinados ao emagrecimento, através de um site destinado ao público português e das redes sociais e plataformas de mensagens, nomeadamente Facebook e Whatsapp.

Entre os medicamentos à venda estão o Reductil, que contém sibutramina, substância que foi suspensa em toda a União Europeia em 2010 por se verificar que os riscos da sua utilização eram muito superiores aos seus benefícios, no âmbito de um programa de perda de peso. A Agência Reguladora de Medicamentos (EMA) recomendou a sua suspensão depois de uma revisão de segurança destes medicamentos, associados ao aumento do risco de eventos cardiovasculares.

Outras substâncias identificadas nestas plataformas foram o clenbuterol, liotironina e efedrina. Perante estes dados, o Infarmed alerta o cidadão para que não compre este e outros medicamentos, nomeadamente através da Internet. Caso já os tenha adquirido, não os deve utilizar, já que a sua qualidade, segurança e eficácia não estão verificadas e há riscos para a saúde.

Podem ainda contactar o Infarmed através do Centro de Informação do Medicamento e dos Produtos de Saúde (CIMI), pessoalmente, por email (cimi@infarmed.pt), telefone (217987373 e 800222444) e facebook. O Infarmed continua atento a estas e outras situações de incumprimento e desenvolve campanhas de informação e alerta para os perigos da venda online e da compra de medicamentos ilegais.

O Infarmed já notificou a entidade promotora do site, sediado no Canadá, e da venda online destes medicamentos, tendo dado instruções para que retirasse de imediato todas as referências, sob pena de instauração das sanções previstas na legislação. O Infarmed continuará a monitorizar a situação e já tomou medidas para impedir a venda destes produtos em território nacional pelos referidos sites.

Solicitou ainda o apoio de autoridades internacionais, nomeadamente da Interpol. A venda de medicamentos sem autorização é ilegal, tal como a comercialização através da internet sem a autorização do Infarmed. Em Portugal só é permitida a venda de medicamentos não sujeitos a receita médica em farmácias e locais de venda autorizados.

Fonta:comunicado Infarmed

 

 

ler mais
target="_blank"

RECENTES

target="_blank"
ler mais