Hospital de Castelo Branco recebe investimento de quatro milhões para ampliação

O presidente da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco (ULSCB), Vieira Pires, disse hoje que o Hospital Amato Lusitano (HAL) vai ser alvo de obras de ampliação, investimento que ronda os quatro milhões de euros.

“O investimento aqui [ampliação do hospital] vai ser crucial. Neste momento, esgotámos a capacidade de instalar médicos nas consultas externas. Tudo quanto é feito em hospital de dia e tudo quanto é feito em consulta externa transitarão para o novo edifício”, explicou o presidente da ULSCB, Vieira Pires.

Este responsável disse ainda que o HAL tem 40 anos e que o espaço atualmente existente é escasso para os médicos trabalharem em boas condições e também para os utentes estarem devidamente instalados.

O investimento, que inclui a construção de raiz de um novo edifício, resulta de uma candidatura ao Portugal 2020, sendo que se espera que a aprovação esteja feita no final de janeiro de 2017 e a obra arranque durante o mês de março.

“Este investimento está mapeado na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), ronda os quatro milhões de euros. Vai ser um edifício, novo que vai ser construído no espaço onde estava instalado o heliporto”, disse.

Vieira Pires adiantou que este investimento “vai ser a salvação” do hospital, uma vez que vai melhorar as condições para os médicos e utentes e permitir atrair novos clínicos.

“Vai conseguir atrair os especialistas porque tem condições. As pessoas não vêm agora para a província, como lhe chamam em Lisboa, por mais dinheiro para fixação, não. As pessoas vêm por boas condições de trabalho. Antigamente, perguntavam quanto é que me vão pagar. Agora não é isso. O ordenado é fixo, as pessoas perguntam é pelas condições de trabalho que têm”, sustentou.

Segundo este responsável, as condições de trabalho oferecidas aos médicos e também as condições que são oferecidas pela cidade têm um papel fundamental na captação de novos médicos.

E, neste sentido, explicou que nos anos de 2015 e de 2016 o HAL investiu 2,6 milhões de euros em novos equipamentos médicos e que, para 2017, estão orçamentados mais 600 mil euros.

Adiantou ainda que entre o final de 2015 e este ano entraram 11 novos médicos para a unidade hospitalar de Castelo Branco, para especialidades como ginecologia, pneumologia, neurologia, medicina interna, endocrinologia, oftalmologia, entre outras.

Apesar da captação dos novos médicos, Vieira Pires é realista e diz que ainda faltam médicos, sobretudo mais em medicina interna e em pediatria.

Para o próximo ano, o orçamento da ULSCB é de 68 milhões de euros, valores que incluem o orçamento base, mais dois milhões do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e cerca de quatro milhões de incentivos pelo cumprimento do contrato-programa negociado com a tutela.

Atualmente, o HAL, além do seu trabalho habitual, dá apoio cirúrgico e ainda nas especialidades de neurologia, nefrologia e reumatologia ao hospital de Portalegre.

O presidente da ULSCB disse ainda à Lusa que a obra de requalificação do centro de saúde da Sertã, no distrito de Castelo Branco, cujo investimento ronda os 629 mil euros, está definitivamente autorizada pela CCDRC e pela tutela, sendo que a abertura do concurso decorre na próxima semana.

LUSA/SO

 

ler mais

RECENTES

ler mais