19 Out, 2016

Gilead Sciences e OMS lançam programa de combate à leishmaniose visceral

A Leishmaniose Visceral, também conhecida como kala-azar, é a segunda doença parasitária infeciosa mais fatal do mundo e afeta até 300.000 pessoas por ano em países de recursos limitados

A Gilead Sciences, anunciou há pouco, em comunicado, ter estabelecido com a Organização Mundial de Saúde (OMS) uma parceria através da qual irá financiar, durante cinco anos, a expansão do programa de acesso ao diagnóstico e tratamento da leishmaniose visceral, em países endémicos, incluindo Bangladesh, Etiópia, Índia, Nepal, Sudão do Sul e Sudão.
O investimento total previsto no âmbito do acordo agora firmado ascende a 18 milhões de euros.
A Leishmaniose Visceral, também conhecida como kala-azar, é a segunda doença parasitária infeciosa mais fatal do mundo e afeta até 300.000 pessoas por ano em países de recursos limitados.
“Esta nova colaboração aparece no momento certo na medida em que nos preparamos para apoiar países endémicos na sub-região da África Oriental e Sudeste da Ásia para eliminar a Leishmaniose Visceral como um problema de saúde pública até ou antes de 2020”, constata o Dr. Ren Minghui, Diretor-geral Adjunto da OMS para o VIH/SIDA, Malária e Doenças Tropicais Negligenciadas, citado no comunicado emitido pela companhia farmacêutica. “Durante os últimos cinco anos, o apoio da Gilead tem permitido a muitos países da região de alta endemicidade para a Leishmaniose Visceral, implementar as recomendações da OMS relativamente ao tratamento de primeira linha, beneficiando assim milhares de pessoas.”
O apoio da Gilead ao programa de controlo da Leishmaniose da OMS começou em 1992. Em dezembro de 2011, a Gilead ampliou a sua parceria para que mais de 50.000 pessoas tivessem acesso ao tratamento, viabilizando ainda a expansão do número de centros de tratamento da leishmaniose visceral de menos de 15, em 2011, para mais de 160 em 2015.
“Estamos orgulhosos em continuar a nossa parceria de longa data com a Organização Mundial de Saúde que continua a agregar esforços para combater esta doença em todo o mundo”, disse Gregg Alton, Vice-Presidente Executivo da Gilead Sciences. “Queremos garantir que os doentes em todo o mundo têm acesso a medicamentos que os possam salvar de doenças potencialmente fatais. Esta parceria renovada é mais um passo rumo a esse objetivo “.
Este apoio da Gilead irá permitir à OMS expandir e reforçar a vigilância da leishmaniose e intensificar os esforços de controlo em áreas altamente endémicas, incluindo a criação de uma infraestrutura sustentável para melhorar o diagnóstico e tratamento da leishmaniose visceral.
A Gilead é uma das 20 entidades que subscreveram a “Declaração de Londres” sobre Doenças Tropicais Negligenciadas – um programa de colaboração para a eliminação e erradicação destas doenças lançado em janeiro de 2012. A declaração foi inspirada pela estratégia 2020 da OMS para a erradicação as doenças tropicais negligenciadas.

SO

ler mais

RECENTES

ler mais