14 Dez, 2016

Estado de saúde de Mário Soares sem agravamento nas últimas horas

O estado de saúde do antigo Presidente da República Mário Soares não se agravou nas últimas horas, mantendo-se na Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital da Cruz Vermelha "numa situação crítica e com prognóstico reservado", revelou hoje fonte hospitalar.

 

“O Hospital da Cruz Vermelha informa que durante a manhã não houve alteração significativa no estado de saúde do doutor Mário Soares, mantendo-se na Unidade de Cuidados Intensivos, numa situação crítica e com prognóstico reservado”, disse aos jornalistas o porta-voz do Hospital da Cruz Vermelha, José Barata.

De acordo com o segundo boletim clínico do dia, revelado depois das 13:00, a situação de Mário Soares, de 92 anos, está “neste momento estável e não sofreu nenhum agravamento nas últimas horas”.

“O doutor Mário Soares vai manter o mesmo nível de vigilância clínica, multidisciplinar que a situação exige”, acrescentou.

José Barata respondeu ainda aos jornalistas que é “natural que os exames continuem a ser feitos, até porque Mário Soares está em vigilância permanente”.

Está previsto que ao final da tarde haja um novo ponto de situação.

De manhã, no primeiro boletim clínico do dia, o Hospital da Cruz Vermelha informou que Mário Soares se mantinha em situação crítica e com prognóstico reservado, mas que tinha tido “uma discreta melhoria do estado de consciência” e já reagia a estímulos.

Mário Soares deu entrada no Hospital da Cruz Vermelha na madrugada de terça-feira, onde está internado na Unidade de Cuidados Intensivos.

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, foi um dos amigos que se deslocou à unidade de saúde para “dar um grande abraço de solidariedade à família, à Isabel, ao João, todos os familiares e amigos”.

“O doutor Mário Soares é uma figura de referência do nosso país, da nossa história. Também para a minha geração, que lhe deve muito. A minha geração cresceu, viveu sempre em liberdade e devemos isso muito ao doutor Mário Soares”, disse aos jornalistas.

Fernando Medina falou dos “laços de amizade” que o unem ao antigo Presidente da República e à família, a quem veio dar “força e ânimo” neste “momento difícil”.

“Encontrei-os tristes, como todos nós estamos, como creio que o país está neste momento, mas também com a força e com a determinação para vencer esta curva difícil”, confidenciou.

O bispo Januário Torgal Ferreira também esteve esta manhã no Hospital da Cruz Vermelha para visitar Mário Soares, de quem “foi sempre extremamente amigo”.

“Eu venho sobretudo prestar homenagem a um lutador pela liberdade, pela tolerância, um aceitador reto e não populista pela diferença. É bom encontrar-se um homem que diz o que pensa”, disse aos jornalistas.

Segundo Januário Torgal Ferreira a amizade por Mário Soares “radica essencialmente por ele ser laico, republicano e socialista”.

“Não faço mais até que vir agradecer porque quando morreu um dos meus irmãos muita gente não esteve comigo e com a minha família e o doutor Mário Soares esteve comigo. Também estou aqui por gratidão”, disse, destacando o “à vontade de ser livre” do histórico socialista.

LUSA/SO

 

ler mais

RECENTES

ler mais