Especialistas reúnem em Lisboa para debater experiências de planeamento em Saúde

Cerca de três dezenas de especialistas nacionais e internacionais na […]

Cerca de três dezenas de especialistas nacionais e internacionais na área do Planeamento em Saúde vão analisar e comparar experiências em diferentes contextos políticos, económicos e sociais – e em países tão diversos como o Canadá, Alemanha, Espanha, Reino Unido, bem como Angola, Cabo Verde e Moçambique – num seminário que se realiza nos dias 28 e 29 de novembro de 2016, no Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT) da Universidade Nova de Lisboa.

A conferência de abertura do Seminário sobre Planeamento em Saúde, organizado pelo IHMT em parceria com a Fundação Friedrich Ebert, será proferida por Lord Nigel Crisp, já considerado uma figura central na área do planeamento em saúde a nível global. Entre os oradores internacionais, constam ainda representantes da Organização Mundial de Saúde e do Observatório Europeu de Sistemas de Saúde.

Será ainda debatido o planeamento da saúde em Portugal a nível hospitalar, local, municipal, regional e central entre personalidades de reconhecido mérito na área.

A conferência de encerramento estará a cargo do Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes.

Em nota enviada às redações, o IHMT justifica a realização do evento como forma de dar resposta a uma “necessidade de aprofundamento do tema do planeamento em saúde, sentida quer no ambiente académico, quer no meio político e técnico. Por outro lado, pretende-se analisar e comparar experiências de planeamento da saúde em diferentes contextos políticos, económicos e sociais”.

Ainda segundo os organizadores, o tema tem seguido percursos diversos em diferentes continentes e países, em alguns casos influenciados pela publicação de importantes documentos de organizações internacionais, em especial da Organização Mundial da Saúde.

Em Portugal, “Saúde, um Compromisso”, publicado no final da década de noventa do século vinte, e os Planos Nacionais de Saúde 2004/2010 e 2011/2016 constituíram importantes documentos, mas sem clara fixação prévia ao nível das políticas de saúde e sem continuidade significativa. Em todos os países lusófonos existem experiências muito relevantes de planeamento no setor da saúde. Estas serão contrastadas com outras da Alemanha, do Canadá, de Espanha e do Reino Unido.

Com base nestas experiências, o seminário pretende atingir três objetivos fundamentais: aprofundar aspetos doutrinais deste tema; conhecer e analisar realizações concretas nesta área; e discutir desenvolvimentos futuros do planeamento em saúde.

Programa disponível para consulta AQUI.

 

 

ler mais

RECENTES

ler mais