28 Jul, 2017

Escola de Saúde de Coimbra quer incluir prevenção de quedas de idosos nos cuidados primários

No âmbito do projeto 'FallSensing', a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra quer que programas de prevenção de quedas de idosos sejam façam parte dos cuidados de saúde primários

Esta posição foi assumida pela ESTeSC, em comunicado, no âmbito do projeto FallSensing, promovido em colaboração com a Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), através do seu Departamento de Saúde Pública.

Envolvendo 120 utentes de diversos agrupamentos de centros de saúde da região, as duas entidades públicas realizaram “um rastreio à população mais idosa que mostra a necessidade de integração de programas de prevenção de quedas” nos cuidados de saúde primários.

“Os resultados indicam que cerca de 40% dos utentes sofreram uma queda nos 12 meses anteriores à realização do rastreio, 53% afirmam ter medo de cair e 40% revelam apresentar um estilo de vida sedentário”, adianta a nota.

Liderado pela docente e investigadora Anabela Correia Martins, o projeto FallSensing “tem vindo a desenvolver um sistema de rastreio de quedas, com a criação de soluções tecnológicas que auxiliam o rastreio do risco de queda e o desenvolvimento de planos de prevenção adaptados ao nível de risco da população”.

A iniciativa é desenvolvida ao abrigo de uma parceria celebrada entre a ESTeSC e a ARSC, em 2014, “para operacionalizar” o Programa Nacional de Prevenção de Acidentes, da Direção-Geral da Saúde, e a Estratégia da Região Centro na prevenção de doenças e acidentes.

O trabalho conjunto, aprovado pela Comissão de Ética da ARSC, visa promover “estratégias para capacitar cidadãos na prevenção de quedas e promoção da saúde”.

O FallSensing, com execução da responsabilidade de investigadores da ESTeSC, arrancou em novembro de 2015, com financiamento do programa Portugal 2020 e do Fundo de Desenvolvimento Regional da União Europeia.

O projeto decorre no âmbito de um consórcio liderado pela empresa Sensing Future Technologies, que integra ainda a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra e a Fraunhofer Portugal, uma associação sem fins lucrativos que aposta na investigação aplicada.

Neste momento, numa clínica de Coimbra, está a ser testado um programa de exercícios em 15 voluntários com o objetivo de “melhorar a força muscular e o equilíbrio”, contribuindo para a prevenção de quedas.

LUSA/SO/SF

 

 

ler mais

RECENTES

ler mais