É necessário requacionar a organização dos cuidados de saúde

O presidente da APAH, defende a necessidade de se reformular o funcionamento dos CSP, bem como o alargamento de horários durante os picos de urgências

Em entrevista à RTP, Alexandre Lourenço, presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, defende hoje a necessidade de se reformular o funcionamento dos cuidados de saúde primários, bem como o alargamento de horários durante os picos de urgências.

Os portugueses estão a recorrer cada vez mais às urgências hospitalares, preterindo os centros de saúde e as linhas telefónicas especializadas, apontou o responsável.

Um dos objetivos do ministro da Saúde era chegar ao fim do ano com uma redução das idas às urgências, mas houve uma tendência oposta. O número tem vindo a aumentar e este ano houve mais 200 mil entradas nas urgências, em comparação com o período homólogo.

Um estudo recente da OCDE mostrou que Portugal é o país com mais atendimentos per capita nas urgências hospitalares. Muitas das situações podiam ser tratadas nos centros de saúde, refere o estudo.

SO/RTP

ler mais

RECENTES

ler mais