Causas das perturbações músculo-esqueléticas na coluna das crianças analisadas em Coimbra

Um estudo está a analisar as causas das perturbações músculo-esqueléticas da coluna na faixa etária dos 10-12 anos e quais os fatores de maior risco, como a postura, o peso da mochila ou o uso excessivo de novas tecnologias.

A Unidade de Cuidados na Comunidade São Martinho, do Centro de Saúde de S. Martinho do Bispo, em Coimbra, em colaboração com o Colégio Bissaya Barreto, está a analisar as causas, procurando também sensibilizar para a necessidade de prevenção de certos comportamentos.

Segundo Ana Morais, enfermeira especialista em Enfermagem de Reabilitação e responsável do projeto, os principais objetivos são contribuir para a diminuição da incidência das perturbações músculo-esqueléticas nos jovens dos 10 aos 12 anos através da prevenção.

De acordo com a responsável, depois de analisados os resultados, “pretende-se sensibilizar todos os educadores para que se envolvam mais e possam ajudar as crianças a corrigir comportamentos de risco”, salientando a questão da postura como o maior problema identificado.

“Embora a questão do uso da mochila também seja importante, a forma e o tempo que os jovens passam a interagir com as novas tecnologias, sem uma postura correta, é um fator muito mais significativo” para a prevalência das perturbações músculo-esqueléticas, refere Ana Morais.

A responsável salienta que percentagem de jovens analisados que apresentam dor é “muito maior do que era expectável”. O estudo pretende recolher dados juntos dos alunos que venham esclarecer quais os comportamentos adotados e quais as principais queixas apresentadas.

LUSA/SO/SF

 

ler mais

RECENTES

ler mais