2 Dez, 2016

Brasil: Epidemias de Zika e Chikungunya serão mais fortes em 2017

As epidemias provocadas pelos vírus Zika e Chikungunya serão mais fortes no Brasil em 2017, alertou o diretor regional da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Mato Grosso do Sul, Rivaldo Venâncio

“Em 2015, foram identificados 38 mil casos de Zika e de Chikunguya. Neste ano, o número subiu impressionantemente para 255 mil. Só o estado do Rio [de Janeiro] já teve mais de 15 mil casos da doença até ao mês de outubro”, disse, citado pela Agência Brasil.

O especialista em medicina tropical acrescentou que “durante os meses em que o calor foi menor e com menos chuvas a velocidade da transmissão diminuiu, mas agora estamos prestes a entrar no verão e, com ele, voltam as altas temperaturas e as chuvas intensas, que são condições mais do que ideais para a proliferação da doença”.

“Como ainda não combatemos esses vírus da maneira adequada, anuncia-se uma epidemia ainda maior para os próximos meses”, avisou Rivaldo Venâncio, que participa no 2.º Seminário Dengue, Chikungunya e Zika: Desafios na Atenção à Saúde na Chikungunya, no Rio de Janeiro.

O especialista frisou que “nem o sistema público nem o privado estão preparados para essa epidemia, especialmente a do Zika e a da Chikungunya que, diferentemente da de Dengue, exigem uma abordagem multiprofissional”.

As três doenças são transmitidas pelos mosquitos ‘Aedes aegypti’.

“Claro que temos profissionais altamente capacitados, mas há a necessidade da atualização dos seus conhecimentos para o manejo clínico”, defendeu.

SO/LUSA

 

ler mais

RECENTES

ler mais