5 Dez, 2016

Bloco questiona Governo sobre reforço das urgências em Oliveira de Azeméis

O Bloco de Esquerda (BE) quer conhecer as medidas previstas para reforçar o SUB do Hospital S. Miguel, em Oliveira de Azeméis, dada a “regular” sobrelotação das urgências em Santa Maria da Feira

O Bloco de Esquerda (BE) questionou o Governo sobre as medidas previstas para reforçar o Serviço de Urgência Básico (SUB) do Hospital S. Miguel, em Oliveira de Azeméis, dada a “regular” sobrelotação das urgências em Santa Maria da Feira.

Numa pergunta apresentada na Assembleia da República e dirigida ao Ministério da Saúde, o deputado bloquista Moisés Ferreira questiona o executivo se “não considera importante a existência de um internista” no Hospital S. Miguel, “de forma que o próprio SUB ganhe capacidade de internamento, sem necessitar de transferir doentes para o SU [Serviço de Urgência] do Hospital S. Sebastião (HSS)”, em Santa Maria da Feira.

O BE questiona ainda “por que razões as ambulâncias de emergência são em grande parte encaminhadas para o SUMC [Serviço de Urgência Médico-Cirúrgico] do Hospital de S. Sebastião, quando em muitos casos poderiam ir para o SUB de Oliveira de Azeméis, descongestionando assim o SUMC do HSS”, e pergunta também “qual a data para a abertura da ambulância SIV [Suporte Imediato de Vida] do INEM no Hospital S. Miguel”.

Segundo salientam os bloquistas, “o Serviço de Urgência do Hospital S. Miguel é fundamental para o Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga, tendo em conta que o serviço de urgências de Santa Maria da Feira está regularmente sobrelotado e com tempos de espera elevados”.

“A existência de um SUB na proximidade – em Oliveira de Azeméis e futuramente em S. João da Madeira – pode descongestionar os serviços em Santa Maria da Feira, garantindo um atendimento mais célere aos doentes”, considera, defendendo ser por isso “necessário preservar e reforçar este serviço, assim como toda a capacidade assistencial do Hospital de Oliveira de Azeméis”.

Para o Bloco de Esquerda, “é importante a existência de uma equipa dedicada às Urgências 24 por dia, como já acontece, mas seria também importante a existência de um médico internista também 24 horas por dia no hospital que dê apoio ao SUB”.

“A sua presença poderia dar a possibilidade de internar alguns doentes no Hospital para prestação dos cuidados necessários, evitando-se transferências e deslocações para o Serviço de Urgências do Hospital S. Sebastião”, sustenta.

Relativamente à ambulância de Suporte Imediato de Vida do INEM no Hospital S. Miguel, o BE recorda que “já foi anunciada, mas nunca chegou a entrar em funcionamento”, sendo “importante esclarecer quando” tal acontecerá.

LUSA/SO

 

 

ler mais

RECENTES

ler mais