Neurologista e Presidente da Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral

AVC: Porquê um dia Nacional?

31 de março | Dia Nacional do Doente com AVC

AVC: Porquê um dia Nacional?

O dia 31 de março foi estabelecido como o Dia Nacional do Doente com Acidente Vascular Cerebral, por publicação no Diário da República II Série nº 23910/2003, com vista a chamar a atenção da população geral para a realidade do Acidente Vascular Cerebral (AVC) em Portugal e sensibilizar toda a Sociedade para as medidas que se podem e devem tomar para o evitar.

Mesmo antes de ser definido, pela World Stroke Organization (WSO), em 2006, um Dia Mundial dedicado a esta patologia (Dia Mundial do AVC, assinalado anualmente a 29 de outubro), o então Núcleo de Estudos das Doenças Vasculares Cerebrais da Sociedade Portuguesa de Neurologia, que viria a transformar-se posteriormente em Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral (SPAVC), já via como premente alertar a população para as possibilidades de prevenção e tratamento desta doença, incentivando melhores cuidados de saúde aos sobreviventes de AVC. Só em 2010, sete anos depois de implementado o Dia Nacional do Doente com AVC em Portugal, o AVC foi reconhecido internacionalmente como um problema de saúde pública major.

Mas porquê a existência de um Dia Nacional? Desde a década de 80 que é reconhecida, em Portugal, a elevada taxa de mortalidade associada ao AVC que, ao nível europeu, e mesmo comparativamente a outros países da Europa Ocidental, se destacava pela negativa. A partir da década de 90, fruto de campanhas de sensibilização da população no âmbito desta efeméride, de uma melhor organização dos cuidados de saúde no que respeita ao tratamento dos doentes com AVC e também devido à evolução dos próprios tratamentos utilizados nas primeiras horas após o aparecimento dos primeiros sintomas, tem-se verificado uma redução da incidência