22 Dez, 2023

“As doenças reumáticas são responsáveis por uma grande morbilidade”

Augusto Faustino, presidente do Instituto Português de Reumatologia (IPR), fala sobre os 75 anos do Instituto, mas também critica o facto de não se dar ainda a devida atenção às doenças reumáticas. Defende também um estágio obrigatório nesta área para os futuros médicos de família.

“O envelhecimento da população e o aumento da fragilidade exige que se dê cada vez mais importância às doenças reumáticas e, por conseguinte, à Reumatologia”, afirma Augusto Faustino. O especialista alerta para o impacto negativo das doenças reumáticas, defendendo assim que as mesmas deviam ser vistas como uma prioridade por parte da Tutela. “Infelizmente, são desvalorizadas e consideradas patologias evitáveis e próprias da fatalidade do envelhecimento, mas isso não é verdade”, enfatiza em entrevista ao SaúdeOnline.

O reumatologista afirma que, caso sejam diagnosticadas atempadamente, pode-se evitar quer o sofrimento decorrente do seu agravamento quer os custos diretos e indiretos. Como realça, “as doenças reumáticas são responsáveis por uma grande morbilidade, sofrimento e custos económicos para doente, família, sociedade”. Face a esta realidade, Augusto Faustino é perentório: “É completamente incompreensível não haver mudanças, não se dar mais atenção a este problema de saúde.”

O presidente do IPR lembra que já existiu um Programa Nacional contra as Doenças Reumáticas da Direção-Geral da Saúde, contudo, o mesmo deixou de ser prioritário em 2020. Acrescem ainda as dificuldades relativas à rede de referenciação hospitalar em Reumatologia, que tem tido diferentes versões. “Estas doenças não são tão mediáticas como a diabetes ou as cardiovasculares  por não terem um peso tão grande em termos de mortalidade, mas não deixam de causar grande sofrimento e de acarretar vários custos com baixas por incapacidade e com reformas antecipadas.”

Outro ponto que faria toda a diferença, na sua opinião, é a formação obrigatória em Reumatologia no internato de formação específica (IFE) dos médicos de família. “É inadmissível que os futuros especialistas em Medicina Geral e Familiar (MGF) não sejam obrigados a fazer estágio nesta área; eles próprios são unânimes em considerar que é uma mais-valia para a sua prática clínica.”

O reumatologista sublinha a importância destes profissionais de saúde, que acompanham os utentes ao longo da vida,  e pede para que deem especial atenção a casos de dor, porque “90% dos doentes reumáticos têm esta sintomatologia”. “Deve-se perceber o que está subjacente a esse quadro álgico quando não se trata de uma causa traumática, pois pode ser uma doença reumática.”

O diálogo entre a MGF e o IPR há muito que é uma realidade, assim como com outras especialidades, o que é visível, em particular, nas Jornadas Internacionais do IPR, que decorrem todos os anos em novembro. “Numa fase inicial, é preciso referenciar-se para Reumatologia, mas inevitavelmente o acompanhamento tem de ser multidisciplinar.”

Quanto ao número de especialistas em Reumatologia, mostra-se satisfeito e com esperança no futuro, já que tem havido um aumento do número de internos. Esta aposta na especialidade deve-se muito, segundo diz, ao trabalho desenvolvido ao longo dos 75 anos do IPR, uma casa que abriu portas quando ainda não havia a especialidade. “Temos contribuído imenso para a formação de reumatologistas, aliás, os centros que começaram a surgir nos hospitais contaram com profissionais da casa.”

Augusto Faustino destaca ainda as mais-valias do Instituto para os doentes que têm acesso a uma equipa multi e interdisciplinar – Reumatologia, Consultas específicas de patologia, Podologia, Reabilitação. Esperam ainda voltar a ter, num futuro próximo, Psicologia e Terapia Ocupacional. “Sinto um enorme respeito e admiração pelos profissionais do IPR que, desde o início, contribuíram para a criação e o desenvolvimento da Reumatologia, que é tão importante para os doentes”, reitera.

MJG

Notícia relacionada

Síndrome de Sjögren. Reumatologista alerta para sintomas comuns a outras patologias

Redes Sociais:
Email
X (Twitter)
Visit Us
Follow Me
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram
ler mais
Redes Sociais:
Email
X (Twitter)
Visit Us
Follow Me
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram
ler mais