28 Out, 2016

António Costa: “grande perda para a ciência portuguesa”

O primeiro-ministro afirmou ontem que a morte do neurocirurgião João […]

O primeiro-ministro afirmou ontem que a morte do neurocirurgião João Lobo Antunes, aos 72 anos, representou uma grande perda para o país e para a ciência, frisando que foi uma grande figura da medicina portuguesa.

António Costa falava aos jornalistas no final de uma homenagem ao antigo dirigente do CDS e antigo vereador da Câmara de Lisboa Pedro Feist.

“Foi com grande pesar que recebi a notícia do falecimento de João Lobo Antunes. Tratou-se de uma grande perda para o país, porque foi uma grande figura da ciência e da medicina”, começou por declarar o líder do executivo.

António Costa caracterizou João Lobo Antunes como “um cidadão sempre ativo e que deu muito à vida democrática portuguesa”.

“Mas, sobretudo, considero que se tratou de uma grande perda para a ciência em Portugal. Todos partilhamos o luto não só da sua família, não só da comunidade académica, mas também um pouco de todos nós”, acrescentou.

O neurocirurgião João Lobo Antunes, presidente do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida, morreu ontem, aos 72 anos.

Licenciado em Medicina pela Universidade de Lisboa, com uma média final de 19,47 valores, foi professor catedrático de neurocirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e diretor de serviço de neurocirurgia do Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Em 1996, recebeu o Prémio Pessoa, instituído pelo jornal Expresso, do grupo Impresa.

ler mais

RECENTES

ler mais