Alzheimer Portugal desafia-o a escolher uma memória e a guardá-la em vídeo

A Alzheimer Portugal assinala o Mês Mundial da Doença de Alzheimer com uma campanha que pretende despertar a atenção da população portuguesa para a problemática das demências que afetam mais de 180 mil pessoas. Marcelo Rebelo de Sousa foi o primeiro a gravar a sua memória favorita

Começa hoje, a campanha com o mote “A memória que eu gostaria de guardar…“, com um vídeo do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Várias figuras públicas, animadores de rádio, deputados, jornalistas e bloggers aderiram também ao convite da Alzheimer Portugal e irão partilhar, nas redes sociais, a sua memória mais importante.

A associação convida todos os portugueses a gravar um vídeo em que partilhem uma memória. O desafio é gravar um vídeo que comece com a frase “A memória que eu gostaria de guardar…” e partilhá-lo nas redes sociais usando as hashtags #memoriasparaguardar e #passeiodamemoria e desafiando 3 amigos para fazer o mesmo.

Ao longo do mês de setembro, a Alzheimer Portugal irá partilhar na sua página no Facebook e no seu canal no Youtube os diversos vídeos, apelando a todos os portugueses que também gravem o seu próprio vídeo e o partilhem nas redes sociais.

Com este movimento a Associação Alzheimer Portugal, que assinala o seu 30º Aniversário no próximo ano, pretende reforçar a importância das demências serem consideradas uma prioridade de saúde pública e de ser criado um Plano Nacional para as Demências que contemple um percurso de cuidados adequado, assim como apoios aos cuidadores destes doentes.

A campanha “Memórias para Guardar” pretende também mobilizar os portugueses para a caminhada solidária da Alzheimer Portugal que se realiza anualmente em setembro: o Passeio da Memória.

A Organização Mundial de Saúde estima que em todo o mundo existam 47.5 milhões de pessoas com demência, número que pode atingir os 75.6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050 para os 135.5 milhões. A doença de Alzheimer assume, neste âmbito, um lugar de destaque, representando cerca de 60 a 70% de todos os casos de demência (World Health Organization [WHO], 2015).

Comunicado de Imprensa/SO

 

ler mais

RECENTES

ler mais