19 Jan, 2018

ADSE propõe pagar 3 euros por eletrocardiograma

Segundo a nova tabela de preços elaborada pela ADSE e já aprovada pela instituição, a ADSE pagará ao prestador de saúde 3,04 euros por um eletrocardiograma (ECG), um corte de 61% no valor atual

Segundo a nova tabela de preços elaborada pela ADSE e já aprovada pela instituição, a ADSE pagará ao prestador de saúde 3,04 euros por um eletrocardiograma (ECG), um corte de 61% no valor atual. A Ordem dos Médicos Dentistas já está a aconselhar os profissionais a abandonar a ADSE porque 11 euros por uma extração dentária ou 17 euros pelo tratamento de um dente e pouco mais de 7 euros por uma consulta são preços incompatíveis com qualidade, noticia hoje o diário de notícias.

Segundo o jornal, com a nova tabela, a direção da ADSE estima uma poupança anual de cerca de 30 milhões de euros por ano e uma redução da despesa para os beneficiários de quase 13 milhões de euros.

O Notícias dá conta de que ontem de manhã, o presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP) reuniu com o diretor-geral da ADSE e tomou conhecimento da nova tabela que tem sido comentada e noticiada nos últimos dias, mas que ainda não foi divulgada publicamente. “Ainda não conseguimos analisar as 250 páginas, mas já constatámos que se confirma o que se dizia. Nesse pressuposto, disse ao presidente da ADSE que estas reduções administrativas são incomportáveis para os privados”, afirmou ao IN Oscar Gaspar.

A APHP representa 90% dos prestadores privados de saúde no país e esta semana aumentaram os pedidos de inscrição, em resultado da insatisfação dos prestadores com a ADSE, contou Oscar Gaspar. O responsável entende que este é o momento para fazer notar à ADSE “a irracionalidade” destes cortes, mas não descarta a possibilidade de tomar posições mais fortes.

A Ordem dos Médicos Dentistas já o fez. O bastonário pediu ontem aos profissionais que ponderem acabar com o acordo com a ADSE caso se mantenha a proposta das novas tabelas de preços. “Há muita gente insatisfeita e a posição da Ordem dos Médicos Dentistas é muito clara. A manterem- -se as atuais regras, devem os médicos dentistas aderentes à convenção ponderar retirarem-se desta convenção”, afirmou, à Lusa, Orlando Monteiro da Silva, frisando que a Ordem dos Médicos Dentistas é “frontalmente adversa” a esta tabela da ADSE que vem ao arrepio do que tinha sido negociado e “faz tábua rasa do que tinha sido decidido”.

Esta semana também o bastonário da Ordem dos Médicos classificou como “absolutamente escandalosos” os preços que a ADSE paga por alguns atos médicos, que muitas vezes não chegam sequer para as despesas do material usado em exames. “Existem alguns atos médicos em que a remuneração paga pela ADSE nem sequer serve para cobrir as despesas do material que é utilizado para os exames”, afirmou Miguel Guimarães, que tem recebido, de forma reiterada, queixas sobre os preços pagos pela ADSE.

Jornal de Notícias /SO

ler mais

RECENTES

ler mais