5 Abr, 2017

4.as Jornadas do GRESP: “As oficinas são uma tradição e um marco formativo do GRESP”

Grupo de Doenças Respiratórias (GRESP) vai realizar nos próximos dias 21 e 22 de abril as quartas jornadas, em Coimbra, com o principal objetivo de esclarecer a todos os presentes a importância de "CuidAR; CapacitAR e AcompanhAR"

O evento irá realizar-se durante dois dias, organizado pelo Grupo de Doenças Respiratórias (GRESP) da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF). Segundo a organização as jornadas contam com mais de 500 participantes, o que para o coordenador do grupo, Rui Costa, é um claro sinal “do interesse, valor e relevância das mesmas”.

De acordo com uma entrevista realizada ao coordenador e disponibilizada no site da associação, nas Jornadas do GRESP terão como inovação novas oficinas práticas e interativas, tais como a de reabilitação respiratória em cuidados de saúde primários (CSP), a de imagiologia respiratória e o curso intensivo de cuidados respiratórios em enfermagem.

Ao longo do programa serão também abordados outros temas importantes como a prática clínica diária da MGF, tais como a alergia respiratória na consulta de MGF, a sobreposição Asma/DPOC, o estado da arte na desabituação tabágica, a patologia respiratória e a doença profissional, o cancro do pulmão e a doença intersticial do pulmão.

Segundo Rui Costa, em entrevista à APMGF, “as oficinas são uma tradição e um marco formativo do GRESP. Para além da relevância dos temas escolhidos, são realizadas e vocacionadas para a prática clínica diária”.

Por sua vez, no programa das jornadas está também incluído um curso intensivo de cuidados respiratórios em enfermagem, que segundo o responsável, visa capacitar os enfermeiros que atuam no âmbito dos CSP e darem um apoio importante na gestão das doenças respiratórias.

“Entendo que é fundamental os profissionais, tais como enfermeiros e médicos de família, elementos essenciais da equipa de saúde de CSP, trabalharem em estreita colaboração e articulação profissional e promoverem de uma forma holística a melhor prestação de cuidados de saúde aos doentes com doenças respiratórias crónicas. Estes profissionais de saúde devem estar capacitados com as competências necessárias para melhorar a gestão e prestação de cuidados de saúde aos doentes com doenças respiratórias, ao longo do tempo e de acordo com as suas necessidades”, disse Rui Costa à APMGF.

Em destaque entre as mesas programadas está a do “Estado da arte na asma e DPOC: 1 ano depois”, com a participação de dirigentes do GRESP, APMGF, Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) e Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC).

“Nesta sessão institucional inter-especialidades esperamos obter os mais relevantes conhecimentos gerados no último ano acerca destas duas importantes doenças respiratórias crónicas. Uma correta caracterização dos doentes e o estabelecimento de um tratamento adequado, assente nos fármacos e no dispositivo inalatório, são a chave do sucesso”, conclui.

Conheça aqui o programa do evento.

APMGF/SO/CS

ler mais

RECENTES

ler mais