26 Dez, 2016

30 unidades de Saúde com horário alargado em Lisboa e Vale do Tejo

A região de Lisboa e Vale do Tejo tem neste momento 30 unidades de Cuidados de Saúde Primários com horário alargado aos dias úteis, 46 aos sábados e 29 aos domingos

Em comunicado, a ARSLVT esclarece que a medida surge na sequência de  reuniões de trabalho entre unidades hospitalares, de cuidados de saúde primários e de cuidados na comunidade integrados que têm vindo a realizar-se desde junho, tendo sido emitidas orientações no sentido de reforçar a articulação entre os três níveis de cuidados, através da discussão e implementação de medidas e estratégias.

A medida agora anunciada insere-se no Plano de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas – Módulo de Inverno 2016/2017, de que a ARSLVT é responsável a nível regional. De salientar ainda que, além das medidas de articulação e comunicação de cuidados anteriormente referidas, os Hospitais/Centros Hospitalares de cada região identificaram a capacidade acrescida prevista para os Serviços de Urgência e Internamento, incluindo necessidades de recursos humanos adicionais, tendo desenvolvido os necessários procedimentos de afetação/contratação dos diversos grupos profissionais, em especial médicos, enfermeiros e assistentes operacionais.

A Lista completa das unidades e respetivos horários, estando devidamente assinaladas as que têm atendimento suplementar, até às 22h ou 24 horas, consoante os casos pode ser consultada AQUI.

Para além do alargamento de horário dos serviços de saúde, a ARSLVT está a implementar estratégias de comunicação para os utentes, designadamente o reforço da importância da vacinação contra a gripe sazonal, de acordo com as orientações da Direção-Geral de Saúde e a divulgação do número de contacto da Linha de Saúde 24 (808 24 24 24), bem como as vantagens da sua utilização.

Outra das estratégia adoptadas pela instituição passa pela a disponibilização de informação relativa aos sinais/sintomas de gripe, cuidados a ter (ex: higiene das mãos e etiqueta respiratória) e como utilizar os serviços de saúde (locais de atendimento e horários), utilizando não apenas as estruturas das unidades de saúde, mas também outras estruturas existentes na comunidade (farmácias, Juntas de Freguesia, escolas, media locais, etc.).

SO

 

ler mais

RECENTES

ler mais