2,5 milhões de euros para combater estudar e combater o envelhecimento cardiovascular

O projeto de investigação ERA@UC foca-se no estudo do fenómeno de envelhecimento cardiovascular e no desenvolvimento de terapias e será apresentado sábado, às 14:30, no Auditório da Subunidade 3 da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC)

A investigação é financiada pelo programa European Research Area (ERA Chair), que atribui 2,5 milhões de euros a investigadores de todo o mundo com mais e melhores resultados, qualificações, experiência, com capacidade de atrair e gerir recursos, pessoas e de estabelecer redes internacionais.

Lino Ferreira, investigador principal do “Enhancing Research in Ageing at the University of Coimbra – ERA@UC”, sublinha que o “projeto é diferenciador no capítulo da inovação, pois pretende estudar o processo de envelhecimento cardiovascular utilizando tecidos derivados de células estaminais, e pelo conjunto de técnicas e metodologias que serão utilizadas para investigar o envelhecimento sob o ponto de vista fisiológico e patológico”.

“A equipa do ERA Chair estará ainda envolvida na formação pós-graduada em programas a decorrer na Universidade de Coimbra e na translação das tecnologias que serão geradas no projeto”, observa o investigador coordenador da Faculdade de Medicina da UC e líder de grupo do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da UC.

O também docente da FMUC salienta que o objetivo dos investigadores é gerar tecidos humanos em laboratório que possam ser usados para estudar o envelhecimento humano, assim como, identificar fármacos que possam reduzir este fenómeno.

O ERA@UC tem como parceiros internacionais o Helmholtz Zentrum Muenchen (Alemanha), Universidade de Maastricht (Holanda), Institute for Stem cell Therapy and Exploration of Monogenic diseases (França) e Universidade de Marselha (França).

A apresentação pública do projeto conta com a presença do Reitor da UC, João Gabriel Silva, e da Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Ana Abrunhosa.

Comunicado de Imprensa/SO

ler mais

RECENTES

ler mais