A região do Algarve perdeu a única ambulância pediátrica que tinha disponível. A ambulância está parada desde segunda-feira devido à falta de médicos pediatras disponíveis para assegurar o serviço de emergência, avança a TVI24.

A situação deve manter-se, pelo menos, até ao final da próxima semana. O Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) assegura, no entanto, que o transporte de crianças não está em causa e será feito com recurso a outras ambulâncias.

O problema é que os restantes veículos não têm os equipamentos necessários em caso de assistência a um bebé ou recém nascido em estado crítico. Esta não é a primeira vez que o serviço de transporte pediátrico urgente está inoperacional: o mesmo já tinha acontecido no final do ano passado e no versão deste ano.

A falta de médicos é transversal a muitas especialidades no CHUA, onde, de forma constante, faltam médicos para completar as escalas, nomeadamente pediatras, urologistas e oftalmologistas. No último fim de semana (prolongado, devido ao feriado de sexta-feira), e com mais pessoas a visitar a região, várias especialidades não tinham qualquer médico especialista nas escalas.

TC/SO