“A gripe tem uma grande influência na vida em sociedade. Se uma criança apanha gripe, falta às aulas e a mãe ou o pai também não pode ir para o emprego. Esta infeção aumenta também o número de internamentos e é causadora de várias incapacidades a longo prazo, como as dificuldades respiratórias”, afirmou Raúl Ortiz Lejarazu, médico do centro nacional da gripe em Valladolid (Espanha).

Para este especialista em saúde pública, que falava aos jornalistas no Instituto Pasteur, em Paris, no âmbito de um encontro internacional sobre vacinação, “a vacina reduz também o risco de pneumonia e de doenças cardiovasculares”, melhorando a qualidade de vida, especialmente em idosos e pessoas com doenças coronárias ou com diabetes.

 

Benefícios em grávidas e doentes cardiovasculares

 

Raúl Ortiz Lejarazu defendeu que a vacinação em grávidas “protege a criança de nascer prematura e frágil”.

Para Gaetan Gavazzi, professor do hospital universitário de Grenoble-Alpes (França), a eficiência da vacina significa “não morrer, não ser hospitalizado, não faltar ao trabalho”.

Em Portugal, a vacina é recomendada pela Direção-Geral da Saúde a pessoas com mais de 65 anos, doentes crónicos e imunodeprimidos, grávidas e profissionais de saúde ou outros prestadores de cuidados. Os especialistas foram também unânimes em defender a administração da vacina a pessoas com doenças cardiovasculares.

Stefan Gravenstein, professor de medicina nos Estados Unidos da América, apresentou estudos que sustentam que a vacina está “associada a uma redução nos problemas cardíacos”.

O aumento de pessoas internadas na época da gripe faz também disparar os gastos com antibióticos devido ao aumento do número de infeções hospitalares, o que também provoca o problema da resistência aos antibióticos, referiram.

A gripe é uma doença contagiosa que infeta todos os anos cerca de 10% dos adultos e um terço das crianças e, geralmente, apresenta uma evolução benigna. Contudo, segundo a Organização Mundial da Saúde, a gripe é responsável por cerca de meio milhão de mortes todos os anos.

Os vírus da gripe estão em constante alteração e a imunidade provocada pela vacina não é duradoura, sendo por isso necessária uma vacinação anual.

Durante o encontro, a organização anunciou que a agência norte-americana do medicamento (FDA, na sigla em inglês) aprovou uma nova vacina da gripe destinada a pessoas com mais de 65 anos, que consta no aumento da dose da que está este ano a ser administrada.

Este ano pela primeira vez estarão disponíveis vacinas tetravalentes, que funcionam para quatro tipos de vírus da gripe (dois do tipo A e dois do tipo B). Até aqui, as vacinas eram no máximo trivalentes e cobriam três tipos de vírus. Os responsáveis disseram esperar que a autoridade europeia do medicamento a aprove nos próximos anos.

SO/LUSA

ler mais