Já são conhecidos os novos secretários de Estado da Saúde.

Os nomes escolhidos por António Costa, apresentados esta manhã ao Presidente da República, nunca desempenharam funções governativas.

Para Secretária de Estado Adjunta e da Saúde, foi nomeada a deputa socialista Jamila Madeira e para Secretário de Estado da Saúde, o médico António Lacerda Sales.

A nova Secretária de Estado Adjunta e da Saúde nunca desempenhou qualquer função na área da saúde. De facto, Jamila Madeira, que é filha de Luís Filipe Madeira, antigo deputado da Assembleia Constituinte, tem um percurso eminentemente político.

Com dez anos, já andava na distribuição de propaganda, mas foi na altura da revolta estudantil contra a Prova Geral de Acesso (conhecida em Portugal como PGA) e quando estava no segundo mandato (cargo para que foi eleita presidente em 1989, com catorze anos) da Associação de Estudantes da Escola Secundária de Loulé e a frequentar o 10º ano, que, apadrinhada pela irmã mais velha, Heloísa, se filia na Juventude Socialista porque “já concordava com a ideologia socialista”.

Em 1994, é eleita comissária nacional da Juventude Socialista (cargo que abandona em 2004) e, no ano seguinte, é eleita presidente da Mesa da Comissão Política Concelhia da JS/Loulé até 1997, ano em que é eleita Membro da Comissão Política Distrital da JS/Algarve (cargo que abandona em 2005[4] e Membro da Comissão Política Distrital do PS/Algarve. Foi ainda deputada municipal na assembleia municipal de Loulé, tendo sido, nas eleições autárquicas de 2009, candidata a presidente da Assembleia Municipal de Loulé contra o presidente em funções pelo PSD, Mário Patinha Antão.

Eleita entre 1994 e 2000 para a Comissão Política Nacional da Juventude Socialista e secretária nacional da Juventude Socialista, foi Relações Internacionais da Juventude Socialista. Nessa qualidade, foi eleita vice-presidente da União Internacional de Juventudes Socialistas (IUSY) e membro do Bureau da Organização Europeia de Juventudes Socialistas (ECOSY).

Em maio de 2000, no XII Congresso da Juventude Socialista, realizado em Espinho, foi eleita para o seu primeiro mandato como secretária-geral da Juventude Socialista. Ganhou contra Ana Catarina Mendes por um voto.[2][5] No ano anterior, em outubro de 1999, tinha sido eleita deputada para a Assembleia da República pelo círculo de Faro, cargo que decorre de ser comissária política nacional do Partido Socialista e comissária nacional do PS (cargos que abandona em 2004). Em 2001, é membro, por inerência do cargo, da Comissão Política Nacional de recandidatura de Jorge Sampaio a Presidente da República. É reeleita para um segundo mandato no XIII Congresso da Juventude Socialista, realizado na Figueira da Foz em junho de 2002 (até julho de 2004).[6] Em 2004, é reeleita de novo como deputada à IX Legislatura, cargo a que renuncia em julho de 2004 para assumir o mandato de deputada, para que foi eleita pelo PS nas eleições desse ano para o Parlamento Europeu.

É licenciada em Economia no Instituto Superior de Economia e Gestão, desde 1997. Desempenhou funções associativas na Associação de Estudantes do Instituto Superior de Economia e Gestão no mandato de 1994/1995 e, durante dois anos (entre 1994 e 1996), foi membro discente do Senado da Universidade Técnica de Lisboa.

Posteriormente, frequentou a pós-graduação em Corporate Finance no CEMAF/INDEG.

Quadro da Rede Eléctrica Nacional (REN) desde 1997. Suspendeu em 2009, por motivos políticos, as funções que exercia como economista do quadro permanente da Direção de Planeamento do Sistema Produtor da REN, tendo antes pertencido ao planeamento económico da EDP. Entre 2013 e 2016, foi Diretora para a Agenda Europeia de Energia da REN, tendo suspendido novamente as funções para assumir o mandato de deputada à Assembleia da República, na XIII legislatura.

 

António Sales é médico ortopedista

 

Ao contrário da sua colega “Adjunta”, António Lacerda Sales, Secretário de Estado da Saúde, é médico, com especialização em ortopedia e em Gestão de Serviços de Saúde. Na sua sua biografia disponível na página da Assembleia da República, onde é deputado pelo Partido Socialista, consta que exerceu Medicina Privada e  medicina publica no Hospital de Sto André, em Leiria até ao inicio da XIII Legislatura, na especialidade de Ortopedia. Cargo que abandonou para exercer no privado,  na clínica de S. Francisco, também em Leiria e em consultório pessoal.

Em julho deste ano, em artigo de opinião publicado no “Público” definia desta forma as prioridades para a legislatura que agora começa:

“Na próxima legislatura, para além de se continuar a apostar no reforço de financiamento e de recursos humanos retomado em 2015, as prioridades do SNS devem estar centradas em quatro objetivos essenciais com interesse concreto para os portugueses: melhorar o serviço aos cidadãos (médico de família para todos, com prontidão de atendimento; combate absoluto às listas de espera para consultas, cirurgias, entre outros); respostas integradas de proteção da saúde dos idosos e dos doentes portadores de doenças crónicas); promover a redução do peso das despesas diretas das famílias (atuando sobre taxas moderadoras e copagamentos – sobretudo em medicamentos – e promovendo aumento da oferta pública); melhorar a gestão do SNS (melhor planeamento, mais integração, melhor gestão de recursos humanos, mais eficiência na organização e na prestação de cuidados, melhor qualidade, combate ao desperdício, mais autonomia e flexibilidade de gestão e maior avaliação e responsabilização); promover a capitalização tecnológica e operacional do SNS, assegurando o financiamento do investimento indispensável.”

É autor do livro “Envelhecer Saudável e Ativo.

MMM/VS

 

ler mais