Inaugurou no iBET – Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica, um novo laboratório dedicado ao desenvolvimento de ensaios bioquímicos e ao estudo de interações moleculares. A implementação destes novos métodos, únicos em Portugal, aumenta a capacidade de descoberta de novos produtos terapêuticos e reforça a parceria entre o iBET e a Merck. Este investimento representa uma aposta estratégica da Merck Portugal na parceria com o iBET realçando a qualidade da investigação biomédica Portuguesa.

Atualmente, o iBET é um parceiro estratégico da Merck no desenvolvimento e otimização de novas moléculas terapêuticas. Dos projetos de investigação em curso destacam-se alguns:

  • A produção e purificação de novas proteínas de interesse clínico;
  • O desenvolvimento de novos modelos para estudo de compostos usados no combate à Malária;
  • O desenvolvimento de processos sustentáveis para a produção de novas vacinas;
  • A identificação e caracterização de anticorpos e antigénios de interesse para a terapia oncológica;

Até 2022 estão previstos investimentos adicionais tais como a aquisição de novos equipamentos e o financiamento de um projeto de doutoramento com a duração de 4 anos. Através da parceria com a Merck, o iBET garante a contratação de uma equipa de 9 colaboradores, 6 deles doutorados, estando previsto um reforço da equipa como resultado do investimento agora anunciado.

Segundo Paula Alves, CEO do iBET “Hoje é um dia de celebração para a ciência em Portugal. É com muito orgulho que assinalamos mais um marco na parceria entre a Merck e o iBET. O reforço desta parceria garante-nos acesso às tecnologias mais avançadas, um fator diferenciador para o iBET que assim consegue reter em Portugal investigadores e outros talentos qualificados.”

Em Portugal a propósito da inauguração do novo laboratório, a CEO do negócio Healthcare da Merck, Belén Garijo, afirma “Estou muito orgulhosa do percurso que o iBET e a Merck têm feito ao longo de mais de duas décadas. Acreditamos que a curiosidade é o que nos move e por isso investimos em mentes curiosas, para nos ajudarem na procura de novas soluções que nos permitam melhorar e prolongar, a vida dos doentes”.

Relembre-se que, segundo dados da Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma), o contínuo investimento em novas terapêuticas entre 1990 a 2015 teve impacto direto na prevenção de mais de 100 mil mortes e a esperança média de vida aumentou dois anos durante este período.

Através desta parceria, de mais de 20 anos, entre o iBET, um instituto de investigação de referência internacional na área da biotecnologia, e a Merck, uma empresa líder em ciência e tecnologia e a mais antiga do mundo no sector, consegue-se uma forte aposta na inovação em Portugal.

ler mais