Em causa está um ingrediente microbiano, o Triclosan, cuja utilização está proibida, segundo o Regulamento da União Europeia, há quatro anos em vários produtos de cosmética do espaço europeu.

A autorização Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) detetou a presença deste conservante no creme “D’Aveia Regenerador de Mamilos” numa operação de fiscalização rotineira a vários cosméticos, segundo avança hoje o jornal Público.

No comunicado divulgado, o Infarmed justifica “a suspensão imediata da comercialização e a retirada do mercado de todas as unidades” deste produto ao declarar que o seu “uso pode colocar em risco a saúde humana”. Além disso, refere na nota, que advertiu as entidades que têm ainda unidades deste produto para as devolverem.

Relativamente aos consumidores, a mensagem foi igualmente clara e perentória: se tiverem o creme não utilizem. O creme em questão é um creme utilizado pelas mulheres que estão a amamentar e serve o propósito de proteger a pele dos mamilos, facilmente fustigados pelas constantes mamadas.

“A retirada de triclosan de alguns tipos de produtos foi decidida pelo Comité Científico da Segurança dos Consumidores da Comissão Europeia que avaliou a utilização continuada do conservante e concluiu que havia um grau elevado de exposição global tendo em conta o potencial efeito acumulado do uso de diferentes produtos com este conservante em simultâneo e decidiu assim baixar a sua concentração em alguns [como pastas dentífricas – 0.3%] e proibir noutros”, explicou fonte do Infarmed ao Público.

EQ/SO

ler mais