Importância do Mindfulness na gestão do trabalho

Daniela Azevedo

Daniela Azevedo

Consultora na Michael Page

A pressão dos executivos quando atingem cargos de topo é um tema de relevância atual, com forte impacto nas organizações. Atualmente, constata-se que algumas empresas estão a cultivar a cultura do mindfulness corporativo e, progressivamente, a adotar novas estratégias para ajudarem os seus gestores a gerir o stress e a controlarem a sua concentração, de forma a tomarem melhores decisões no local de trabalho. Esta tendência começa também a ganhar importância na formação, através de cursos específicos em liderança e em gestão, administrados por prestigiadas universidades internacionais que incorporam o mindulfness na formação, dado que o conceito está diretamente relacionado com a motivação no trabalho.

Mas, o que é o mindfulness? Simplificando, o mindfulness tem a suas origens no budismo e significa consciência. É um estado oposto ao mindlessness (condição de piloto automático), e a sua prática oferece uma forma de prestar atenção ao momento presente, com maior consciencialização dos pensamentos e sentimentos. O mindulfness pode ajudar a reduzir o stress, a ansiedade e o conflito, além de aumentar a resiliência e a inteligência emocional, ao mesmo tempo que melhora a comunicação no local de trabalho, por isso, várias organizações decidiram implementar um programa de mindfulness corporativo.

O mindfulness corporativo ajuda a valorizar o momento atual com o intuito de amplificar a importância de cada atividade a ser realizada. Os colaboradores podem apreciar mais o processo do que o resultado final. Com o mindfulness corporativo, as empresas têm a oportunidade de realmente inspirar os seus colaboradores para que o local de trabalho seja uma parte empolgante e gratificante da sua vida.

De uma forma geral, todos (incluindo líderes, decisores, executivos e empregados) se sentem cada vez mais sobrecarregados com o volume de informação e o ritmo das mudanças da sociedade, as quais exigem que estejam permanentemente ligados (ao telemóvel, às redes sociais, ao email) e que se sintam constantemente ocupados, muitas das vezes sendo a casa uma extensão do trabalho.

O mindfulness no local de trabalho é um tema dominante para as empresas, e uma forma de ajudar a reduzir o stress, que é uma das causas do afastamento dos colaboradores e tem um impacto negativo brutal na produtividade. De acordo com um estudo realizado pela Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho, mais de metade dos dias de trabalho perdidos todos os anos por absentismo estão relacionados com o stress. Além disso, 80% dos colaboradores declaram que sentem ansiedade no trabalho e precisam de ajuda para aprender a fazer essa gestão, considerando-se a abordagem preventiva, holística e sistemática para a gestão de riscos psicossociais, como a mais eficaz.

A verdade é que, com o mesmo nível de pressão, há pessoas que lidam relativamente bem e outras cedem mais facilmente. Não há uma razão científica, mas o estilo de vida parece ser essencial na gestão de situações de stress. Quanto mais saudável for uma pessoa – em relação a hábitos de sono, saber parar, ter uma alimentação equilibrada ou praticar desporto, socializar – menos exposta pode ficar a situações de burnout.

Um estudo elaborado recentemente pela Michael Page mostra um aumento dos problemas associados à saúde mental, afetando significativamente os altos cargos de direção. Esta é uma situação despoletada pelo contexto económico dos últimos anos, em que os colaboradores são solicitados a fazer mais com menos recursos e a trabalhar durante longas horas com cargas de trabalho cada vez mais pesadas.

Assim, a importância em fomentar a cultura da empatia nas organizações, a meditação, o mindfulness, ou outras estratégias adequadas que ajudem a dar visibilidade a estes problemas, e permitam oferecer soluções claras para reduzir os níveis de stress e ansiedade nas empresas, fazem cada vez mais parte da solução.

Neste sentido, simplificar o foco no trabalho para facilitar a eficiência e organizar o dia, pode ser um passo importante. Preparar tarefas diárias, saber quais são os compromissos, as reuniões e os projetos que precisam de ser concluídos, é crucial para controlar o trabalho e evitar situações de stress. A definição de “intervalos de trabalho” após a execução de uma tarefa ou um projeto por um período prolongado, a realização de pausas durante 10 minutos, são práticas que permitem direcionar a mente e criar um certo rejuvenescimento, aliviando a tensão.

O movimento de mindfullness é, assim, essencial para os executivos, para simplificar a complexidade da vida atual. Mas, a capacidade de manter a concentração com alguma flexibilidade, e programar o cérebro para pensar de uma forma mais saudável e reduzir a ansiedade, não é fácil. É por isso, que o mindfulness é relevante quando um executivo sente uma sobrecarga enorme de trabalho, relacionada por exemplo com a complexidade, cumprimento de prazos, gestão de conflitos, ou eventualmente, com outros acontecimentos da vida.

A criatividade, a facilidade na resolução de problemas complexos, a capacidade de gerir a informação no trabalho, de se energizar, a adaptação e a conjugação com uma vida social, são algumas das práticas que contribuem para diminuir a ansiedade no local de trabalho. O mindfulness contribui para ajudar a desacelerar, a melhorar o autocontrolo e aumentar a inteligência emocional, contribuindo para um bem-estar geral, que permitirá melhorar a capacidade de gerir conflitos e comunicar de forma mais eficaz. Em suma, ser mais feliz!

ler mais