Os voluntários vão atuar em colaboração com pessoal médico moçambicano, construindo uma parceria virada para a melhoria dos resultados da saúde, refere um comunicado da embaixada norte-americana.

A diretora de Planificação e Cooperação do Ministério da Saúde de Moçambique, Marina Karagianis, citada na nota, considerou a presença dos voluntários uma prova da solidariedade norte-americana para com Moçambique.

“Nas diferentes frentes do desenvolvimento socioeconómico do país, nós podemos contar sempre com o apoio do povo americano”, declarou Marina Karagianis.

Os EUA, prosseguiu, sempre colocaram à disposição de Moçambique o seu saber técnico, científico e profissional.

Os 35 voluntários fazem parte do Corpo da Paz dos Estados Unidos, uma entidade estabelecida como uma agência governamental independente pelo Presidente John F. Kennedy em 1961, com o objetivo de promover a paz e amizade no mundo.

O Corpo da Paz é o principal parceiro do Plano de Emergência do Presidente dos EUA para o Alívio do SIDA (PEPFAR) no apoio ao Programa de Saúde Comunitária em Moçambique.

Com a chegada dos 35 voluntários, ultrapassa os 1.300 o número de voluntários norte-americanos que já serviram em Moçambique, desde 1998, ano em que chegou o primeiro grupo.

SO/Lusa

ler mais