No total, 3.393 acusações foram registadas devido a ilegalidades no consumo e na venda de tabaco, a maioria das quais “referentes a fumadores ilegais” (3.371), um aumento de 4,1% em relação ao período homólogo do ano passado.

De acordo com os dados divulgados pelos Serviços de Saúde de Macau, 93,7% dos infratores são do sexo masculino.

Em relação ao pagamento de multas, as autoridades de Macau indicaram que “2.767 pessoas (81,6%) pagaram multas”, no valor de 1.500 patacas (165 euros) cada.

Os casinos foram os locais onde mais infrações foram detetadas (26%), seguindo-se parques,jardins e zonas de lazer (16,7%) e, por fim, centros comerciais (10,9%).

“Desde o dia 01 de janeiro de 2019, que é totalmente proibido fumar em todos os recintos públicos fechados, execetuando as salas autorizadas e que foram criadas no aeroporto e nos casinos, de acordo com as novas normas”, lembraram os Serviços de Saúde.

Entre 01 de janeiro de 2012, data de entrada em vigor da lei de prevenção e controlo do tabagismo, e 31 de julho passado, os Serviços de Saúde de Macau realizaram, ao todo, 2.162.516 inspeções e registaram 53.705 acusações.

SO/Lusa

ler mais