O Centro Hospitalar de Leiria atribuiu o Prémio de Investigação CHL 2019 – José Ribeiro Vieira ao trabalho de investigação liderado pelo cardiologista Fernando Sá, médico interno de formação específica em Cardiologia no Serviço de Cardiologia do CHL, que pretende definir as características diferenciadoras do enfarte do miocárdio sem obstrução das artérias coronárias (myocardial infarction with nonobstructive coronary arteries – MINOCA). Este tipo de enfarte do miocárdio continua a ser um enigma e um desafio para a Cardiologia, uma vez que os doentes não apresentam os típicos fatores de risco cardiovascular que no enfarte do miocárdio com obstrução das artérias são preditores da doença.

O Prémio for atribuído por unanimidade pelo júri, pelo artigo “Myocardial infarction with nonobstructive coronary arteries: a single-center retrospective study”, publicado na revista Coronary Artery Disease em setembro de 2018. O trabalho, que se baseou no estudo de 1.047 doentes do Serviço de Cardiologia do CHL, entre 2011 e 2016, adianta como paciente típico de MINOCA mulheres jovens, não fumadoras, com fibrilação auricular sem elevação do segmento ST, e sem historial de enfarte agudo do miocárdio. João Morais, presidente do júri do Prémio de Investigação, adianta que «este é o primeiro estudo publicado sobre os preditores para o grupo de pacientes com MINOCA, e termos identificado um paciente típico para esta tipologia de enfarte, que é muito diferente do doente cardiovascular clássico, é muito relevante para a prática clínica diária».

Na entrega do Prémio, onde estiveram presentes os membros do Conselho de Administração (CA) e do Centro de Investigação (CI) do CHL, a vice-presidente do Politécnico de Leiria Ana Sargento, os membros do júri, assim como os candidatos, João Morais fez uma sinopse do trabalho crescente do Centro Investigação, que «tem dado suporte à formação dos mais de cem médicos e das mais de duas centenas de enfermeiros e outros técnicos de saúde que anualmente fazem formação no CHL, e que podem desenvolver trabalho de investigação, com suporte, durante o internato».

Para Licínio de Carvalho, presidente do CA, «a investigação faz parte da missão do CHL, é um investimento que nos diferencia, porque não há formação de qualidade em saúde sem investigação, não pode haver serviços com qualidade, e este trabalho foi recentemente evidenciado na acreditação pela Joint Commission International». Para o presidente do CA, a investigação contribui de forma crítica para a formação dos profissionais, e é fundamental em instituições desta natureza. «Nos últimos anos o CHL tem colaborado em diversos estudos de relevo, que permitem algum retorno financeiro e que têm custeado outras iniciativas de investigação, nomeadamente ensaios clínicos, que permitem oferecer outras opções de tratamento aos utentes.»

Ana Sargento aproveitou a ocasião para enaltecer o trabalho que o CHL e o Politécnico de Leiria têm desenvolvido em conjunto, numa relação profícua e que deve continuar, destacando que o Centro Hospitalar é um dos parceiros de referência do Politécnico, não só na investigação como na formação dos seus estudantes.
O Prémio de Investigação CHL – José Ribeiro Vieira, que vai na segunda edição, é dirigido aos profissionais do Centro Hospitalar autores de trabalhos publicados em revistas científicas com peer review, fator de impacto atribuído e publicamente conhecido, publicados no ano civil anterior ao que o prémio se refere. Visa estimular a participação dos profissionais em projetos e iniciativas de investigação científica, e tem o valor monetário de 1.000 euros, destinados a custear despesas de investigação.

CHL atribui pela primeira vez Bolsa de Investigação
Na mesma ocasião o Centro Hospitalar de Leiria atribuiu pela primeira vez a Bolsa de Investigação CHL. As ideias galardoadas recebem uma bolsa no valor de 1.500 euros, com vista a apoiar financeiramente e potenciar os seus projetos de investigação, a realizar no CHL.
Por unanimidade o júri deliberou atribuir duas bolsas de investigação, aos projetos de Marília Rodrigues, reumatologista, que pretende investigar a eficácia e segurança da lidocaína intravenosa em pacientes com fibromialgia e dor com características neuropáticas, e avaliar o impacto na qualidade de vida diária destes doentes; e de Fernando Sá, que pretende identificar se a realização de cardioversão elétrica está associada a melhoria da qualidade de vida em doentes com sintomas associados a fibrilação auricular;

Liberação de imprensa

ler mais