O aviso estava feito, e face à votação de ontem no parlamento, este grupo profissional vai voltar à greve amanhã (dia 12) e na próxima sexta-feira (19).

Durante a votação na Comissão Parlamentar de Saúde na AR, na manhã de ontem (10 de julho), o PSD terá recuado e retirou as suas propostas de alteração legislativa e absteve-se nas propostas de alteração apresentadas pelo BE e pelo PCP, que pretendiam atender a reivindicações antigas destes profissionais, como a contagem de todo o tempo de serviço anterior e um aumento dos profissionais abrangidos pelas progressões nos escalões remuneratórios.

Os TSDT relembram que a problemática da revisão de carreiras nada tem a ver com a das restantes carreiras da função pública, uma vez que esta carreira não teve qualquer processo efetivo de revisão em 20 anos.

Agora, os TSDT voltam à greve. Em causa está o recuo do PSD, que invocou condicionantes existentes na Lei da Execução Orçamental para não deixar passar os diplomas da esquerda. O PSD pretende agora que o Governo elabore um estudo prévio que permita avaliar os impactos orçamentais da revisão da carreira especial de TSDT.

Em comunicado, o sindicato acusa o partido de tentar “fugir às responsabilidades, anteriormente assumidas, através da apresentação inicial do pedido de Apreciação Parlamentar”.

TC/SO

ler mais