Os projetos a concurso estão inseridos em várias áreas de intervenção social e chegam de vários pontos do país, mas Lisboa (46) e Porto (15) continuam a destacar-se pelo número de candidaturas.

O júri, presidido pela Dr.ª Maria de Belém Roseira e constituído por mais seis elementos de reconhecido mérito, avaliam agora os 107 projetos inovadores, provenientes de instituições privadas de solidariedade nacionais. Esta análise terá em consideração vários critérios, tais como o número de pessoas beneficiadas, impacto na comunidade, importância social do projeto relativamente às necessidades apresentadas, criatividade no modelo adotado, aplicação material do prémio e continuidade temporal da ação desenvolvida com a comunidade.

A oradora convidada desta edição é Maria Antónia Palla, uma das primeiras mulheres jornalistas em Portugal, e uma das mais marcantes nos órgãos de comunicação social em que trabalhou. A par do seu trabalho como jornalista, desenvolveu intensa atividade cívica. Foi distinguida em 2004 com o grau de comendadora da Ordem da Liberdade.

Nos últimos seis anos, foram apresentadas mais de 555 candidaturas e distinguidos 25 projetos em diversas áreas de intervenção social e zonas do país. O Prémio visa reconhecer o trabalho desenvolvido por pessoas coletivas, que se tenham destacado no âmbito de ações de responsabilidade social ativa, em território nacional. Este Prémio, atribuído anualmente com o valor pecuniário de 10.000€ ao Grande Vencedor e 1.000€ a cada uma das Menções Honrosas, pretende ser um incentivo ao reconhecimento do que se faz bem em Portugal, na área da Responsabilidade Social.