“Ninguém deveria morrer no Gana por não ter acesso a um medicamento de que precisa numa emergência”, afirmou o Presidente do Gana, Nana Akufo-Addo, no centro de distribuição da cidade de Omenako, um dos quatro entrepostos no país.

Com o apoio do Ministério da Saúde do Gana e da associação Gavi, The Vaccine Aliance, cerca de 120 ‘drones’ da empresa norte-americana Zipline irão distribuir vacinas, sangue e medicamentos para mais de dois mil centros de saúde no país.

O diretor-geral da Gavi, Seth Berkley, considerou que este é uma iniciativa que permite chegar aos cidadãos “geograficamente isolados pela distância, mas também porque vivem em regiões montanhosas, de elevada densidade florestal ou em zonas inacessíveis na época de chuvas”.

Berkley abordou também a vantagem de utilizar veículos aéreos não tripulados, que permite ultrapassar as barreiras naturais e entregar os materiais a tempo, exemplificando que os ‘drones’ podem reabastecer um centro de vacinação que se encontre sem doses.

Esta é a segunda rede deste tipo, depois de, em outubro de 2016 a mesma empresa ter criado uma rede semelhante no Ruanda, permitindo a distribuição de sangue pelo país.

Desde então, a rede em território ruandês concretizou mais de 13.000 entregas, das quais um terço terá correspondido a emergências em que a vida de pacientes estava em risco.

Atualmente, a rede da Zipline no Ruanda é responsável por 65% dos envios de sangue fora da capital ruandesa, tendo como destino principal centros de saúde em áreas rurais.

LUSA

ler mais