Esta nova infraestrutura de saúde, situada na cidade de Odivelas, funciona desde o dia 27 de dezembro do ano passado, mas só foi inaugurada oficialmente hoje, numa cerimónia em que participaram o primeiro ministro, António Costa, e a ministra da Saúde, Marta Temido.

A inauguração marca o início de um roteiro dedicado ao SNS, e que pretende mostrar o melhor e o pior dos cuidados de saúde públicos em Portugal. Segundo adianta o jornal i, haverá uma nota de agenda diária mas nem todas as reuniões serão tornadas públicas. Não se conhece, contudo, o programa para o resto da semana, embora se espere que os membros do governo participem em mais inaugurações mas também visitem serviços que têm relatado dificuldades de funcionamento.

Este roteiro está, no entanto, a gerar críticas. A bastonária da Ordem dos Enfermeiros, que até se ofereceu para acompanhar António Costa, questiona o facto de as visitas serem previamente anunciadas, o que permite aos responsáveis melhorar a imagem dos locais antes da chegada da comitiva governamental. “Os procedimentos são alterados, transferem-se doentes de sítio, condicionam-se os profissionais”, diz Ana Rita Cavaco ao i.

Já antes o bastonário dos Médicos também se tinha insurgido contra estas práticas. “Recebemos instruções para dar alta, para mandar os doentes para o internamento, para o serviço de urgência estar mais ou menos limpo“, revelava Miguel Guimarães, numa entrevista, em 2016. Apesar de concordar com a inicativa, o bastonário defende que as visitas deveriam ter um caráter regular e não esporádico, frequentemente em períodos eleitorais.

 

Centro de Saúde vai servir quase 42 mil pessoas

 

O centro de saúde integra duas Unidades de Saúde Familiar (USF), a do Mosteiro e a do Cruzeiro, e tem capacidade para servir 41.800 utentes, tendo representado um investimento de 1,4 milhões de euros, suportados pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Câmara Municipal de Odivelas (30%) e por fundos comunitários (50%).

A Câmara Municipal de Odivelas refere que este novo equipamento permite a reorganização das unidades de saúde das freguesias de Odivelas, Ramada e Caneças, contando com uma equipa de 16 médicos, 16 enfermeiros, quatro assistentes técnicos e quatro assistentes operacionais.

As duas USF existentes no edifício contemplam 39 gabinetes de consulta médica e de enfermagem, seis salas de tratamento e um gabinete de saúde oral.

LUSA / Tiago Caeiro

ler mais