Publicado na revista científica Asia Pacific Journal of Clinical Oncology, o estudo comparou dados de 833 pacientes com cancro colorretal e 833 pessoas saudáveis, que serviram de controle. A amostra incluiu homens e mulheres.

Os participantes foram entrevistados presencialmente, tendo por base um questionário sobre os seus hábitos alimentares, concluindo-se que a probabilidade de desenvolver cancro colorretal era 79% menor nos adultos que consumiam vegetais como alhos e cebolas, em comparação com os que consumiam menos.

“Vale a pena notar que, neste estudo, parece existir uma tendência: quanto maior a quantidade deste tipo de vegetais, maior a proteção”, afirma o autor sénior, o Dr. Zhi Li, da Universidade de Medicina da China. “No geral, estas descobertas lançam luz sobre a prevenção primária do cancro colorretal por meio da intervenção no estilo de vida, o que merece uma exploração mais aprofundada”, conclui em comunicado de imprensa.

O cancro colorretal desenvolve-se no instestino grosso e é o terceiro cancro mais comum, a seguir ao cancro da mama e da próstata. Na Europa, cerca de 1 em cada 20 homens e 1 em cada 35 mulheres irá desenvolver cancro colorretal em algum momento da sua vida. Em Portugal, apresenta uma taxa de incidência acima dos 30 casos por 100.000 habitantes, afectando mais os homens do que as mulheres e mais frequente em regiões mais industrializadas e urbanizadas.

Mónica Abreu Silva