Num despacho hoje publicado em Diário da República, o Ministério da Saúde considera que “urge criar condições para melhorar o funcionamento dos serviços de urgência” e cria um grupo de trabalho apresentar propostas que melhorem a prestação de cuidados de urgência e emergência.

No diploma, a secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte, lembra que os diferentes serviços de urgência do país têm optado por diversos modelos de organização e quer que os diferentes modelos sejam estudados.

“A existência de equipas dedicadas tem impacto no funcionamento do serviço de urgência e funcionamento dos serviços hospitalares (…). Estes factos aliados ao reconhecimento, na comunidade médica, da medicina de urgência/emergência como uma competência/especialidade médica com características próprias torna necessária uma avaliação das práticas atuais nesta área”, justifica o despacho.

O grupo de trabalho agora constituído deve, em quatro meses, propor “medidas de atualização e agilização” para “conseguir a melhorar da organização e trabalho dos profissionais, bem como dos serviços prestados à população nos serviços de emergência pré-hospitalar e urgências”.

O grupo é constituído por duas especialistas em medicina interna, um anestesiologista, um cirurgião geral, uma pediatra e um enfermeiro especialista. Integram também o grupo de trabalho elementos da Direção-geral da Saúde, da Ordem dos Médicos e dos Enfermeiros e um representante do INEM.

LUSA

ler mais