Segundo uma nota do Infarmed, os produtos em capsúlas, que foram detetados na Alfândega, contêm substâncias destinadas ao tratamento da hipertensão, obesidade, ansiedade e obstipação e a sua utilização é proibida em Portugal.

“O produto Redux – Redutor de Medidas, cápsulas, contém substâncias destinadas ao tratamento da hipertensão, obesidade, obstipação e ansiedade. É, por isso, um medicamento ilegal, por não dispor de autorização de introdução no mercado em Portugal e conter substâncias ativas que apenas podem ser utilizadas em medicamentos”, destaca o Infarmed.

De acordo com a nota, os produtos foram detetados na Alfândega, no âmbito do protocolo de colaboração entre o Infarmed e a Autoridade Tributária e Aduaneira, destinado ao combate à falsificação de medicamentos.

O Infarmed alerta as entidades que dispõem destes produtos para que não os podem “vender, dispensar ou administrar” e que devem comunicar de imediato com a autoridade do medicamento.

“Os utentes que disponham destes produtos não os devem utilizar, devendo entregar as embalagens em causa na farmácia para posterior destruição, através da Valormed”, adianta o Infarmed.

O produto tem, provavelmente, origem em vendas através da Internet, não tendo sido, segundo o Infarmed, detetado no circuito legal de venda de medicamentos (por exemplo, farmácias).

Após análise no laboratório do Infarmed, verificou-se que os produtos contêm as substâncias ativas furosemida, hidroclorotiazida fluoxetina e bupropiom, as quais têm efeitos diuréticos e antidepressivos”, é referido.

De acordo com o Infarmed, os dois produtos contêm também sibutramina, substância destinada ao emagrecimento e que foi retirada do mercado europeu, por constituir um risco para a saúde.

“Atendendo a que não está garantida a qualidade, segurança e eficácia deste produto, a sua utilização é proibida em Portugal”, adverte o Infarmed.

Na semana passada, o Infarmed já tinha alertado para a deteção na Alfândega dos produtos ‘PowerFite’ e ‘Diet Slim’, dois “medicamentos ilegais” por não terem autorização de introdução no mercado em Portugal e conterem substâncias ativas que apenas podem ser utilizadas em fármacos.

Estes produtos, em cápsulas, contêm substâncias destinadas ao tratamento da hipertensão, obesidade e ansiedade.

LUSA

ler mais