No dia 22 de novembro, a Novartis realizou nas suas instalações no Taguspark, um Demo Day onde apresentou a toda a organização os projetos em curso com as startups. Este evento contou com a intervenção de Pedro Rocha Vieira CEO Beta-i e de Isabel Vaz, CEO da Luz Saúde.

A TonicApp e a UpHill, duas das startups que participaram no Techcare, programa de inovação aberta da Novartis, apresentaram o resultado do trabalho de parceria que têm desenvolvido com as equipas da Novartis nas áreas de cardiologia, dermatologia e hematologia.

A TonicApp é uma aplicação que apoia os médicos no processo de diagnóstico e tratamento, apostando na curadoria de conteúdos e ferramentas digitais profissionais, úteis para o trabalho clínico diário. Está a trabalhar com a Novartis para desenvolver uma solução adaptada para a dermatologia e focada na psoríase, através da disponibilização de recursos específicos na avaliação desta patologia.

A UpHill, que desenvolveu uma plataforma de formação clínica avançada, está a adaptar a sua solução a necessidades específicas na área cardiovascular e na hematologia. A plataforma UpSim disponibiliza formações para médicos através da simulação de casos clínicos reais. O sistema está a ser utilizado na área da insuficiência cardíaca, para promover a adesão às guidelines terapêuticas e para melhorar a gestão da doença em hospitais de referência, no tratamento da patologia. Este sistema é também utilizado na área da hematologia, com dois cursos avançados, que ao elevar o índice de suspeição da síndrome mielodisplásica e mastocitose sistémica ajudam na confirmação do diagnóstico.

“O Techcare espelha a identidade da companhia e a sua aposta contínua na inovação e nas novas potencialidades do digital. Todo o processo de contacto, avaliação e construção com as startups tem sido extraordinário, fomentando uma proximidade e relação com um ambiente de empreendedorismo e agilidade, áreas fundamentais que a Novartis está a trabalhar internamente como parte da nossa evolução cultural”, afirma Cristina Campos, Diretora Geral da Novartis, Portugal. “Por outro lado, trabalhar com as startups para adaptar a sua solução a necessidades concretas, que sentimos dos nossos parceiros no ecossistema da saúde, permite-lhes tornar o seu propósito mais viável fortalecendo-as na sua capacidade de demonstrar o valor dos seus projetos a outros parceiros.” conclui.

Ambos os projetos agora em concretização foram selecionados num universo total de 64 candidaturas, 11 das quais tiveram a oportunidade de participar num Bootcamp, tendo contacto com várias áreas e funções da Novartis. A iniciativa desafiou startups experientes na produção de protótipos ou já em fase de testes, a desenvolver ferramentas, soluções ou métodos que respondessem a necessidades do ecossistema da saúde em Portugal.

Comunicado

ler mais