A poucos dias do Dia Mundial da Coluna, assinalado na terça-feira, 16 de outubro, o ortopedista Luís Teixeira, presidente da Associação Spine Matters e diretor do Spine Center, Hospital da Luz Coimbra, lançou o 1º livro português sobre patologia da coluna, intitulado de “Patologia Degenerativa da Coluna em Portugal”.

“A principal utilidade destas efemérides é, normalmente, podermos ter pelo menos um dia no ano em que alertamos a população para problemas importantes e despertarmos consciências para a importância da prevenção, do diagnóstico e do tratamento. Mas quando vejo, ano após ano, a evolução galopante das estatísticas da patologia da coluna em Portugal – que é, hoje, um dos países do mundo ocidental em que as dores lombares e cervicais são mais prevalecentes, têm maior impacto na qualidade de vida da população e na economia do país – sinto que isso não chega, e que é necessário sermos ainda mais ativos e passarmos, se quisermos, ‘das palavras aos atos’”, começa por explicar o ortopedista, citado em comunicado.

“A realidade dos números é avassaladora: 73% da população portuguesa tem dores de costas (entre episódios agudos e doença crónica), e 420 mil adultos são obrigados a faltar pelo menos um dia por ano ao trabalho por culpa desta patologia. Não é preciso fazermos muitas contas para percebermos o impacto que isto tem na economia do país, mas mais que isso, na qualidade de vida destas pessoas, que é degradada diariamente pela falta de diagnóstico ou pela inadequação do tratamento”, acrescenta.

Na referida nota, o especialista destaca o “trabalho notável” dos ortopedistas portugueses e das associações em divulgar informação sobre as patologias da coluna. Contudo, lamenta o número insuficiente de profissionais “para cobrir a dimensão total do problema, que hoje atinge números de uma verdadeira epidemia”, reforçando a necessidade de definir uma “estratégia de combate à doença”.

Foi esta constatação que motivou o médico português, num trabalho de dois anos, a desenvolver esta obra pioneira: “Sentimos que era necessário criar um manual de referência em Portugal que pudesse contribuir para a democratização do tratamento da coluna no país. Até agora não existia nenhum livro português sobre a patologia da coluna e os profissionais de saúde que quisessem aprofundar os seus conhecimentos sobre esta matéria tinham que se socorrer de manuais estrangeiros, na maior parte dos casos desenquadrados da realidade nacional ou excessivamente técnicos e orientados para especialistas.”

Com o objetivo de ser uma ferramenta disponível a ortopedistas, neurocirurgiões, reumatologistas, fisiatras e médicos de Medicina Geral e Familiar, o livro pretende fazer um retrato da realidade da patologia em Portugal como forma de compreender o estado da doença em Portugal e constatar a escala que tem a nível nacional.

“Para além desse enquadramento, o livro agrega por capítulos as especificidades de cada uma das patologias, desde patologia degenerativa da coluna lombar e cervical, deformidade no adulto e na criança, tumores, envolvimento vertebral em contexto reumático, etc, e faz a súmula do conhecimento que existe sobre cada uma destas patologias. Mas no nosso entender, a chave está no facto de se centrar sobretudo nas ferramentas de diagnóstico e nas soluções de tratamento mais avançadas de que dispomos; é disso que a generalidade dos profissionais precisa para fazer a diferença no dia a dia dos seus pacientes.” completa o cirurgião ortopédico.

Saúde Online 

ler mais