“A equipa tratou gratuitamente pessoas que sofrem de cataratas. Estiveram aqui 12 dias e conseguiram fazer exames a mais de 400 doentes oriundos de várias regiões da Guiné-Bissau e chegaram a fazer 216 cirurgias com grande sucesso”, afirmou o embaixador.

Jin Hongjun falava aos jornalistas no final de um encontro com o chefe de Estado guineense, que serviu para fazer um balanço do trabalho da equipa médica.

Segundo o embaixador chinês, o equipamento que veio com a equipa médica, no valor de 165 milhões de francos cfa, foi doado ao Hospital Nacional Simão Mendes, em Bissau. A equipa médica chinesa também deu formação aos técnicos do hospital. “Os técnicos locais podem continuar com este tipo de cirurgia e a resolver o problema das pessoas que sofrem de cataratas”, salientou.

O embaixador chinês disse que os dois países têm vontade de reforçar a cooperação no setor da saúde e admitiu a possibilidade de aquela equipa médica regressar ao país.

LUSA