Nesta sessão em que será abordado o papel da genética em matéria de cancro, será explicado, entre outras questões, como a ferramenta Oncologia Personalizada ajuda e guia os doentes com cancro e os oncologistas na busca do melhor tratamento para a obtenção do melhor resultado. O debate está agendado para dia 14 de junho, as 15h, no Salão Nobre da Junta de Freguesia

Serão também abordadas outras questões como “O que é a oncologia personalizada”, “O papel da OncoDNA na personalização dos tratamentos oncológicos”, “A importância da genética no desenvolvimento do cancro”, entre outras. Nela participam Susana Pires Duarte, Diretora Dep.Social da AAPC, Paula Oliveira, Psicóloga da AAPC e Luis Alvaréz, OncoDNA Portugal.

Luis Alvaréz, representante da OncoDNA em Portugal, explica: “Falar de cancro sem falar de genética é impossível. O futuro da oncologia passa pela medicina de precisão. Os tumores aparecem por alterações e mutações nos genes e essa medicina personalizada analisa como podemos ter o tratamento mais adequado para o doente. A genética não tem um papel no cancro, é o próprio papel porque supõe o começo e, nas melhores condições, o fim da patologia. Apenas entre 5 a 10% dos tumores têm origem hereditária”.

Para a OncoDNA, uma das primeiras companhias a implementar os mais recentes avanços da oncologia de precisão, a implementação de estudos genómicos na prática clínica traz grandes benefícios para os doentes: poupança em tratamentos desnecessários, redução de custos e menos efeitos secundários.

Também Susana Duarte, Diretora Dep.Social da AAPC, acredita que “é extretamente importante dar a conhecer aos doentes oncológicos e familiares as ferramentas que têm à disposição para combater o cancro da forma mais eficaz possível. É também importante que conheçam a origem dos tumores, pois muita gente pensa que o cancro é hereditário. Contudo, é a genética e as mutações nesses genes que ditam o desenvolvimento desta doença. O nosso papel na associação é precisamente o de informar e apoiar o doente em todas as fases”.

Neste Dia Nacional de Luta Contra o Cancro, 14 de junho, será também inaugurada a exposição ‘Senti(r)nela’ no Salão Nobre da Junta de Freguesia de São Mamede Infesta. Esta exposição é dedicada ao cancro no feminino e pretende homenagear as mulheres que lutam contra a doença oncológica.

A exposição é composta por dez fotografias individuais sendo as protagonistas utentes da AAPC com diagnóstico de diversos tipos de cancro. Assim, tem como principal objetivo consciencializar a comunidade para a existência de diferentes cancros na mulher, e não apenas o cancro da mama. Para além disso, as protagonistas encontram-se em diferentes fases da doença para que seja possível retratar o impacto sentido nas diferentes estágios e quais as alterações biopsicossociais experienciadas ao longo da doença. Efetivamente, pretende-se passar a mensagem de que o ajustamento psicossocial ao cancro é diferente de mulher para mulher, existindo uma grande variação nas respostas biológicas e psicológicas relativamente à doença.

COMUNICADO/SO