A Nano4 Global conseguiu um total de 1,4 milhões de euros de investimento comunitário para um projeto de inovação de base tecnológica ao abrigo do programa comunitário SME Instrument do Horizonte 2020.

A Nano4 Global desenvolveu um teste colorimétrico baseado em nanotecnologias que permite fazer o diagnóstico de tuberculose em 90 minutos, quando atualmente demora 3 dias.

Estes resultados são muito gratificantes. A empresa já tinha ganho na Fase 1 deste instrumento. A Agência Nacional de Inovação (ANI), através do Gabinete de Promoção do Programa-Quadro (GPPQ), apoia as empresas que se queiram candidatar ao SME instrument e, neste caso, ajudou esta empresa a preparar a proposta e a sua apresentação (“pitch”) em Bruxelas. É com muita satisfação que a ANI reconhece que todo esse trabalho foi recompensado.

A Nano4 Global – empresa de base nanotecnológica fundada em 2015 – desenvolve a plataforma NANO4 para diagnóstico molecular com potencial para point-of-need. A plataforma NANO4 pode ser aplicada a qualquer condição cujo biomarcador seja DNA ou RNA. Esta plataforma tecnológica é baseada em nanossondas de ouro que permitem a deteção do alvo molecular num simples e rápido teste in vitro cujo resultado é atingido por uma alteração colorimétrica. Com um pipeline robusto e promissor, a Nano4 Global tem um sistema para o diagnóstico molecular de Tuberculose em avaliação clínica, estando a aplicação a outras indicações e alvos em desenvolvimento pré-clínico. A plataforma Nano4 é uma tecnologia totalmente desenvolvida em Portugal na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, no Grupo de Investigação liderado por Pedro Viana Baptista, cofundador da Nano4 Global em conjunto com Alexandra Fernandes e Filipe Assoreira.

O SME Instrument é um programa europeu extremamente competitivo, conhecido como a Liga dos Campeões da Inovação, onde em média apenas 5% das empresas concorrentes são selecionadas para financiamento. Neste concurso foram escolhidas 64 de um total de 1271 propostas submetidas a nível europeu.

Com o financiamento das candidaturas da Nano4 Global e da I2S, há 13 empresas portuguesas apoiadas na fase 2 do SME Instrument, que captaram um total de 22 milhões de financiamento comunitário.

O SME Instrument tem o objetivo de apoiar PME com vocação altamente inovadora e capacidade de introduzir alterações disruptivas nos mercados. Está dividido em duas fases: a primeira, na qual são disponibilizados 50 mil euros por projeto, tem como finalidade financiar o desenvolvimento do estudo de viabilidade. A fase 2, com um financiamento até 2.5 milhões de euros por projeto, visa o apoio a atividades relacionadas com o desenvolvimento e demonstração da inovação.

COMUNICADO