Especialistas nesta área partilham informação para o público em geral e para a comunidade médica, tendo como foco o impacto que esta patologia, até agora pouco valorizada, tem na vida dos doentes e na sociedade.

As responsáveis do Grupo de Interesse de Alergia Cutânea da SPAIC, Prof Doutora Cristina Lopes e Dra. Marta Neto afirmam: “O diagnóstico, as opções de tratamento, incluindo as novas terapêuticas e a importância do cuidado com a pele, são alguns dos temas que devem ser destacados quando se fala desta doença. É muito importante discutirmos todas estas dimensões do impacto que a DA tem na vida dos doentes e seus familiares.”

  • A Dermatite Atópica afeta de forma significativa a qualidade de vida e tem um encargo socioeconómico importante
  • A Dermatite Atópica, também conhecida como Eczema Atópico, é a doença inflamatória crónica cutânea mais comum e é caracterizada por uma pele muito seca que apresenta frequentemente inflamação e um intenso prurido. Quando persiste no adulto tende a ser mais grave
  • Pode afetar todas as idades, mas o início da doença é mais frequente no grupo etário abaixo dos 5 anos de idade
  • A prevalência da Dermatite Atópica na população em geral estima-se que seja de 2-5%, e cerca de 15% nas crianças e adolescentes
  • A Dermatite Atópica está muitas vezes associada a outras patologias alérgicas como a alergia alimentar, rinite polínica, e asma em indivíduos que têm uma hipersensibilidade alérgica, ou atopia”
  • Devido à importância que a alergia pode desempenhar na Dermatite Atópica, é indispensável que seja feito um diagnóstico preciso e que haja seguimento por um alergologista ou dermatologista

Para mais informações, aceda AQUI.