A ‘start’ up’ portuguesa SWORD Health, responsável pela criação do primeiro terapeuta digital para a fisioterapia, captou um investimento no montante de 4,6 milhões de dólares (3,72 milhões de euros).

A ronda ‘seed’ contou com o investimento da Green Innovation, Vesalius Biocapital III e outros investidores da Europa e Estados Unidos e terá como objetivo “acelerar o desenvolvimento de novas terapias digitais e impulsionar o crescimento global”, refere a empresa em comunicado.

A SWORD Health refere que se mantém “a trabalhar ativamente com seguradoras, serviços nacionais de saúde, organizações e centros de reabilitação nos EUA, Canadá, Austrália, Noruega, Portugal, África do Sul, México e Japão”.

A SWORD Health é uma plataforma tecnológica pioneira que representa uma nova abordagem à fisioterapia, refere.

“Recorrendo à combinação de sensores de movimento de alta precisão com os mais recentes avanços tecnológicos na área da inteligência artificial, o principal produto da ‘startup’ portuguesa, o SWORD Phoenix, permite aos pacientes realizarem as suas sessões de fisioterapia no conforto de sua casa, com feedback em tempo real da sua performance e sempre monitorizados pela sua equipa clínica”, explica.

Ao mesmo tempo, o SWORD Phoenix permite tratar mais doentes, com resultados clínicos sólidos e reduzindo custos operacionais, acrescenta.

A tecnologia da SWORD Health já está atualmente a ser utilizada por profissionais de saúde dos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Noruega, Portugal, África do Sul, México e Japão.

O fundador e CEO da SWORD Health, Virgílio Bento, citado no comunicado, afirma que o terapeuta digital “permite a democratização do acesso a uma fisioterapia de alta qualidade aos pacientes, no conforto de sua casa”.

“Passámos os últimos três anos a desenvolver e a refinar a tecnologia, recorrendo aos maiores desenvolvimentos na área da inteligência artificial que sustenta o nosso terapeuta digital, o SWORD Phoenix, bem como a demonstrar a sua eficiência através de estudos clínicos intensivos. Iremos agora focar-nos na expansão para o mercado global, no desenvolvimento de novas terapias digitais e em mais estudos clínicos”, sinaliza.

ler mais