Sob o mote #Hemorragiaszero, a Associação Portuguesa de Hemofilia e de outras Coagulopatias Congénitas (APH) e a Shire, biofarmacêutica líder global na área das doenças raras, desenvolveram uma campanha integrada que conta com a partilha de testemunhos sobre hemofilia, mostrando que é possível viver com zero hemorragias, melhorando o impacto na vida das pessoas com hemofilia.

Nuno Lopes, membro da direção da APH, justifica a criação do projeto #hemorragias zero referindo que “Ter zero hemorragias é uma possibilidade para quem tem hemofilia, infelizmente não é uma realidade. Existe, por isso, a necessidade de se intensificar o nível de exigência face à patologia, através do aumento da qualidade da personalização e de cumprimento do tratamento, fundamentais para evitar as hemorragias responsáveis por lesões articulares – inflamações, dores, perda de movimento e deformidades.”

Através da profilaxia feita com base no estudo farmacocinético individual é possível viver sem hemorragias e, consequentemente, sem o impacto que estas têm na degradação da saúde e na rotina diária de cada uma das pessoas que vive com hemofilia.

“As hemorragias eram uma constante interrupção da minha vida, ao ponto de me privarem de várias atividades no meu dia-a-dia, desde a escola até às tarefas domésticas. A partir do momento em que consegui prevenir as hemorragias, deixou de ser frustrante fazer planos porque comecei a conseguir realizá-los”, partilha Nuno Lopes.

O projeto #Hemorragiaszero será dinamizado em vários momentos ao longo do ano, como por exemplo em eventos da APH: palestras, workshops e atividades formativas. Contará, também, com a realização de um estudo baseado em inquéritos, cujas conclusões vão permitir ter uma perspetiva mais profunda e integrada da hemofilia, considerando os vários intervenientes: pessoas com hemofilia, cuidadores e profissionais de saúde, bem como decisores e autoridades.

Para saber mais sobre o projeto #hemorragiaszero veja AQUI: